header

A comunicação é observada como uma chave para a compreensão das transformações em curso na sociedade, de modo ainda mais relevante, aqui, ao ser investigada como dimensão aglutinadora de múltiplas e complexas questões históricas. Sob esta perspectiva, a observação, análise e debate acerca dos processos comunicacionais possibilitam articular o ambiente comunicativo, marcado pela forte presença da mídia, à contínua reconfiguração da memória e da sensibilidade.

O Seminário se propõe a discutir a Comunicação articulada com a História, uma vez que a História exerceu o papel central na constituição e formalização da memória oficial sobretudo porque sempre se apresentou (e conseguiu se legitimar) como o principal discurso semantizador das ações e das transformações da realidade social.

Pretende-se estabelecer um diálogo entre os processos e atos comunicacionais, bem como dar conta da sua relação com a memória, acionando discussões sobre o papel da comunicação na ativação do passado no presente; além de estimular a compreensão dos suportes midiáticos na elaboração de produtos de caráter expressivo, motivando problematizações sobre as dimensões poéticas e estéticas dos objetos, imbricadas às instâncias políticas e culturais, mas, também, extrapolando a esfera específica dos produtos e correlacionando a memória com o campo dos afetos.

Num contexto em que a sociedade está atravessada por lógicas de produção e consumo que se entrelaçam com as lógicas da midiatização, é extremamente importante questionar como fenômenos e expressões tradicionalmente vinculadas às matrizes culturais muito bem identificadas podem se reconfigurar nas relações com a midiatização em curso sejam nos âmbitos da experiência sensível ou das experiências cognitivas de identificação e memória coletiva.

O seminário permitirá pensar as características interacionais que marcam tais relações, em seus desdobramentos em produtos midiáticos, em manifestações culturais e/ou artísticas e em práticas sociais cotidianas.

cachoeira