Lançamento de livros

Dia 21/11 às 18h30 - no CAHL

Escritas da Cidade - Juventudes e Resistências nas Periferias de Salvador

Autora: Daniela Abreu Matos*
Editora: Appris Editora
Valor: 58,00
Resumo: O livro “Escritas da Cidade – Juventudes e Resistências nas Periferias de Salvador” é resultado de uma pesquisa sobre o potencial resistente de práticas culturais/comunicativas empreendidas por jovens moradores de lugares periféricos, articulados em grupos de atuação comunitária. A reflexão aqui apresentada está voltada para a compreensão de uma experiência de escrita coletiva vivenciada por jovens moradores da cidade de Salvador, na Bahia, e questiona a possibilidade de uma função transformadora associada a ela. Assim, interessa pensar como a fala dos jovens pode empreender alguma mudança na correlação de forças sociais. Como pode, por exemplo, tensionar posicionamentos estabelecidos pelos meios midiático-massivos – considerados como instância privilegiada de formulação de discursos potencialmente hegemônicos – sobre a juventude das periferias? A abordagem proposta considera o potencial resistente como uma condição que pode ou não ser efetivada. É uma consequência da capacidade de alteração das relações de poder previamente estabelecidas que passam a ser tensionadas pela existência de determinada ação ou produto em dado contexto. Desse modo, a análise está voltada para a relação entre sujeitos, práticas e sociedade, portanto atenta às práticas sociais na sua dimensão de produtora de sentidos. Importante destacar que a concepção que orienta este trabalho reconhece variados níveis de transformação social, desde aqueles definidos por padrões mais objetivos – como acesso ao emprego, à educação e à saúde de qualidade, condições dignas de moradia e segurança pública – até aqueles que operam em um patamar de ganhos simbólicos – como o fortalecimento subjetivo de laços comunitários e a implementação de redes de solidariedade, por exemplo. O que interessa observar é a possibilidade do transbordamento, daquilo que escapa, que abala as certezas de certo conjunto de coisas com fronteiras rigidamente estabelecidas. Um movimento capaz de instaurar e dar consistência às zonas intervalares, ao território do aproximativo dos “espaços opacos” (SANTOS, 2006), constituindo forças autênticas de ação resistente

*Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais, tem mestrado em Comunicação e Cultura Contemporânea e graduação em comunicação Social, ambos pela Universidade Federal da Bahia. É professora adjunta do Centro de Artes, Humanidades e Letras – CAHL – da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Atua como professora permanente do Mestrado em Comunicação da UFRB, no qual dedica-se a estudos que articulam comunicação, cultura, juventudes e territórios em uma perspectiva de empoderamento dos sujeitos e possibilidades de resistências e transformações do instituído.

A Instituição do Sensível

Autor: Monclar Valverde*
Editora: XGraph
Preço: R$ 40,00
Resumo: A Instituição do Sensível procura contemplar a dimensão histórica da convergência que há entre nossa sensibilidade e o mundo sensível. Relacionando o sentido, a forma e o valor, em sua relação com o tempo – na percepção, na fala e na ação –, o autor defende a possibilidade e a pertinência de uma hermenêutica da experiência estética. Desse modo, o livro desdobra, aprofunda e ilustra uma abordagem sobre as problemáticas da comunicabilidade afetiva e da sensibilidade, inspirada pela vertente da fenomenologia hermenêutica, apresentada em sua Estética da Comunicação (2007).

* Monclar Eduardo Góes de Lima Valverde é doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996), com pós-doutorados em Teoria da Comunicação (Paris V, Sorbonne, 2002), Filosofia (UFPR, 2008) e Estética da Comunicação (UFRB, 2018). Professor Titular do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, da Universidade Federal da Bahia (IHAC-UFBA). Publicou os livros Militância e Poder (1998), Objetos de Papel (2000) e Estética da Comunicação (2007), reeditado como Breve fenomenologia da expressão e Pequena estética da comunicação, em 2017, bem como as coletâneas As Formas do Sentido (2003) e Merleau-Ponty em Salvador (2008).

Patrimônio Local, Desenvolvimento e Economia Criativa: compartilhando métodos e reflexões

Autor: Diogo Reyes da Costa Silva (organizador)*
Demais autores: Ruy Cezar Silva, Luciano Simões Souza, Talita Oliveira da Costa, Daiane Fontes e Rô Reyes.
Editora: Edições Casa Via Magia
Preço: distribuição gratuita, financiado pelo fundo de cultura.
Resumo: A publicação tem como objetivo contribuir com a reflexão e difusão de conhecimentos em pesquisa e ação social, mais especificamente nas questões referentes ao patrimônio cultural e desenvolvimento local. Dentro desse panorama, o texto apresentado também busca dialogar com importantes elementos na configuração dos temas citados, dentre eles a economia criativa, educação, políticas públicas e ecologia. Seu conteúdo pode ser utilizado, tanto do ponto de vista prático quanto teórico, por estudantes e professores, gestores culturais, gestores públicos, indivíduos ou instituições que tenham interesse nos temas elaborados. Em termos gerais, a metodologia consiste em elaborar uma pesquisa acerca do patrimônio local, para subsidiar a produção de um material representativo culturalmente e que compreenda bens e temáticas relevantes para a comunidade. A partir daí, auxiliar a utilização dessas informações na tradução de sua riqueza cultural em ações para o desenvolvimento sustentável da região. Esta publicação está dividida em duas partes principais Metodologia(s) de pesquisa e ação e Reflexões e diálogos.  A seção inicial é onde são descritas e discutidas as principais inspirações teóricas e conceituais que servem de base para o projeto e também são apresentadas as metodologias de pesquisa desenvolvidas, bem como as técnicas de elaboração de material temático e desdobramento de ações. Já a segunda parte do livro, Reflexões e diálogos, apresenta textos de especialistas convidados para tratar de diversas questões relacionadas aos temas principais, para que seja possível tornar o debate mais abrangente, analisando questões referentes aos princípios, desafios, trajetórias e impactos de iniciativas desse tipo.

* Diogo Reyes Silva, nascido em São Paulo em 1982, é sociólogo, produtor musical e pesquisador, com diversos artigos e trabalhos acadêmicos publicados e apresentados em congressos especializados, nacionais e internacionais. Pesquisador associado ao CRH/UFBA e Observatório das Metrópoles – Salvador, bem como ao Instituto Cultural Casa Via Magia. Onde, a mais e dez anos, trabalha em diversos projetos. E atualmente exerce funções de gestão, concepção, pesquisa, elaboração de produtos e acompanhamento de processos.  Dessa forma atua profissionalmente em projetos e pesquisas, nas áreas de cultura, educação e desigualdades sociais, em diversos institutos. Ainda lecionando em cursos e workshops relacionados a muitas dessas pesquisas. Na sua atuação no Instituto Cultural Casa Via Magia, trabalha em diversos projetos, como Me Conta, Museu do Processo, Mercado Cultural e outros, em funções que incluem concepção, pesquisa, produção, memória, avaliação, confecção de textos, relatórios e projetos.

Sertões Contemporâneos - rupturas e continuidades no semiárido

Autora: Gislene Moreira*
Editora: Edufba/Eduneb
Preço: R$ 45,00
Resumo: No século XXI, o sertão virou semiárido ‒ e a mudança no termo não foi aleatória. Ela indica transformações na região fixada no “de-sertão” ou na “zona das secas”, que nos anos 2000 se destacou como um cenário efervescente de inovações políticas, econômicas e sociais. Este livro se dedica a entender as profundas mudanças nos modos de vida, na cultura e na comunicação provocadas pelo avanço acelerado do capitalismo nas periferias do Nordeste brasileiro. Ele aborda as novas produções culturais, seus impactos identitários e os sentidos destes sertões do novo milênio e questiona como essas transformações globais têm influenciado os campos da cultura e da comunicação nos brasis profundos.

* Neta de agricultores sem-terra e analfabetos, Gislene Moreira nasceu em Mundo Novo/BA, sonhando com um sertão renovado em justiça e igualdade. Há mais de 20 anos atua em movimentos sociais e de comunicação popular no semiárido e na América Latina. Em 2011 foi premiada como um dos dez melhores trabalhos do ano pela Alas/Clacso com a tese Las Hormigas de Macondo. É doutora em Ciências Sociais e Política pela Flacso/México, mestre em Cultura e Sociedade e especialista em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e graduada em Comunicação Social pela UNEB. Hoje, como professora-pesquisadora da Uneb, atua no Campus XXIII de Seabra, na Chapada Diamantina, onde se dedica às entre cultura, comunicação e crise ecológica. Desde 2015 é mãe de Chicó.

LGBT como pauta do jornalismo: visibilidade e limitações

Autor: Eder Luis Santana*
Editora: Editora Devires
Preço: R$ 35
Resumo: A obra promove a análise de conteúdo de dois jornais de grande circulação na Bahia e o modo como retrataram os LGBT ao longo de um ano. São quatro capítulos com diferentes áreas da cobertura cotidiana. O primeiro, voltado à política, está centrado no período eleitoral de 2014. Em seguida, é observado como a luta por direitos é narrada. No capítulo três, é apresentado como jornais expõem padrões normativos de gênero e sexualidade a partir das celebridades. Por fim, o foco são as matérias de violência. A obra é uma compilação da pesquisa feita pelo autor ao longo do mestrado na Universidade Federal da Bahia (UFBA).

* Doutorando no Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (PósCom/UFBA), onde integra o Núcleo de Estudos em Jornalismo (NJOR). Mestre em Cultura e Sociedade pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (PósCultura/UFBA), na mesma universidade. Formado desde 2005 em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, no Centro Universitário da Bahia (FIB), é especialista em Jornalismo Contemporâneo pelo Centro Universitário Jorge Amado. Trabalha focado em jornais diários desde 2002, tendo atuado como repórter, blogueiro e editor. Entre projetos de destaque está o prêmio Tim Lopes de Investigação Jornalística, adquirido em 2006 com o projeto Raízes da impunidade: o silêncio contra os inocentes. Em 2011, finalizou o curso Teaching English to Speakers of Other Languages (Tesol-Advanced), na King George International Business College (KGIBC), em Vancouver, Canadá. Desde 2010 dedica-se também à docência. Foi professor dos cursos de Comunicação da Faculdade Social da Bahia (FSBA), da Faculdade Integrada Ipitanga (Unibahia) e da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC).

“Arte contemporânea no Século XXI, o primeiro decênio”

Editora: Editora Faz de Conta, MINC
Autor: Denilson C. Santana* (Organizador)
Preço: 20,00
Resumo: Elaborado a partir de uma ordem alfabética dos autores, os trabalhos aqui apresentados segue uma risca de serem todos deliciosamente arquitetados num alicerce de criação e endeusamento ao viés artístico e é sugerido e pautado como um esboço das diversas amplitudes em arte que começaram a dar a cara ao universo artístico no primeiro decênio deste século; multimídias, processos de natureza intercambial entre desenho, escultura, pintura, registros de performance, instalações, ações, vídeo-arte e outras técnicas de abdução de sentido, sobretudo o que concerne ao campo das visualidades. Assim, de maneira não tendenciosa, são ordenados como numa cartografia mista de momentos únicos que marcaram e tornam a confirmar a arte pensada e produzida nestes dez anos de instigo e amplio relevante a arte contemporânea.

* Licenciado em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Possui Pós-graduação em Docência no Ensino Superior – Faculdade São Luis.  Artista visual, curador e escritor.

Luz, Camera, Ação e Pensamentos

Autor: Maurício Amorim*
Editora: Editora Cogito
Preço:
R$ 20,00
Resumo: O livro traz textos e reflexões do autor sobre aspectos do cinema e da televisão. Pode ser considerado como um bate papo sobre atores, atrizes, filmes, series e telenovelas, em textos que, durante dois anos, o autor escreveu para o site de cultura Cabine Cultural.

* Professor efetivo da Uneb, do Curso de Comunicação Rádio e TV. Especialista em Roteiros para Televisão e Cinema e também especialista em Linguagens e Midias Audiovisuais. Cineasta. Escreveu e dirigiu os longas metragens O ENFERMEIRO (2008) e O SEMINARISTA (2017).