Programação social

Cachoeira - Bahia - Brasil | 21, 22 e 23 de novembro de 2018

Recital 60 anos de Bossa Nova

Comemorando os 60 anos da Bossa Nova, espetáculo traz grandes clássicos como Garota de Ipanema e Eu Sei Que Vou Te Amar

Ao resgatar as formações musicais de época e reler grandes clássicos, o vibrafonista Ricardo Valverde e a cantora paulistana, Bia Goes, homenageiam as belezas e encantos de um estilo puramente brasileiro: a bossa nova. Ao comemorar os 60 anos do gênero, que virou referência para músicos de todo mundo, os artistas trazem canções de mestres reverenciados como Tom Jobim e Vinícius de Moraes. Com leveza e emoção, os músicos despertarão as memórias afetivas do público, por meio dessas grandes canções eternizadas como Eu Sei Que Vou Te Amar e Chega de Saudade, e as dos trios instrumentais da época, como o Tamba Trio. Direção Musical e arranjos: Ricardo Valverde | Artista convidado: Bia Goes | Demais instrumentistas: Nino Bezerra, Antenor Neto e Rodrigo Carneiro

Minima Musica

Minima Musica apresenta bossas, baladas e temas instrumentais no IV Congresso Internacional sobre Culturas

Como sugere o nome, o grupo Minima Musica pretende abordar as tradições do jazz e da bossa nova, de forma minimalista, economizando recursos e explorando contrastes. Envolvendo também composições autorais dos seus membros, o trio procura resgatar, num ambiente urbano e contemporâneo, sonoridades e formatos da música de câmara.

Composto por Monclar Valverde (sax, piano e voz), Isaías Rabelo (direção musical, piano e baixolão) e Nino Bezerra (contrabaixo), o Minima Musica vai apresentar novas leituras de baladas e bossas conhecidas, como Prum samba (Egberto Gismonte), And I love her (John Lenon e Paul Mcartney) e Stella by Starlight (Victor Young e Ned Washington).

Jantar de confraternização com música instrumental

DIA: 22/nov, às 19h | Local: Pousada do Convento | Preço: R$ 43,00 por pessoa | Pagamento: a efetuar no dia 21/nov, no credenciamento. * Capacidade do local: 50 pessoas - faça a sua inscrição no jantar: enviar nome completo para o e-mail do congresso <4congressoculturas@gmail.com> com o assunto "Reserva Jantar". O pagamento será realizado no credenciamento no dia 21/11. Menu: Saladas: salada verde; salada mista | Molhos: mostarda e mel; campanha (vinagrete) | Quentes: arroz branco; maniçoba; moqueca de peixe; spaghetti à bolonhesa vegana (soja) | Sobremesas: doce de frutas; cocada | Digestivo: Licor de jenipapo; licor de maracujá

Samba de Roda Raízes de Acupe

O Samba de Roda Raízes de Acupe, fundado em 2006, reúne os veteranos sambadores e sambadeiras dos tradicionais Carurus de São Cosme e Damião, Reis, Esmola Cantada, Burrinha, Santa Manzorra e outros legados ancestrais da comunidade quilombola de Acupe, distrito de Santo Amaro da Purificação. Mestres da tradição oral, estes antigos pescadores, marisqueiras e lavradores desvelam no samba-de-roda a força do legado afro-brasileiro na Bahia, como a sambadeira Dona Maninha (Eurides Bispo dos Santos) que aos 103 anos de idade esbanja no seu miudinho todo vigor e leveza da herança africana abrilhantada com paixão e sinceridade pelos quilombolas de Acupe. Dia 23/Nov, às 19h.

Imagem de Moda: Vitrina e Cotidiano

Por Renata Pitombo Cidreira (CAHL-UFRB)
A exposição apresenta vitrines de grandes marcas de moda produzidas em Paris, Milão, Madrid e São Paulo, nos anos de 2010, 2014, 2016 e 2017. Os registros de maisons como Chanel, Dior, Prada, Armani e Lanvin buscam evidenciar a força das composições visuais, através das cores, texturas e volumetrias; bem como, investigar a relação especular das imagens das vitrinas na conformação imaginária e identitária dos sujeitos, no entrelaçamento com o cotidiano que os cerca. A mostra já foi montada nas cidades de Cachoeira, Feira de Santana e Salvador. Exposição permanente | Pousada do Convento

Da Feitura de Objetos Vítreos e da Transmutação de Símbolos Ancestrais

Por Beatriz Ferreira Pires (EACH-USP)
O foco de investigação dos objetos que compõem a exposição incide sobre alguns dos símbolos presentes em diversas culturas e temporalidades que, dependendo da sociedade na qual se encontram, surgem com diferentes propósitos, em diferentes suportes e perpassam materialidades que vão desde formações rochosas – inscrições rupestres feitas através das técnicas de pintura ou de baixo relevo –, até a pele humana – inscrições feitas através das técnicas de pintura da face ou do corpo, tatuagem e escarificação. Exposição permanente | Pousada do Convento