A UNANIMIDADE DO MERCADINHO PRETO VELHO

Thamires Almeida

 

Com a chegada da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, no ano de 2002, à cidade de Cachoeira-BA, o fluxo de jovens, aumentou bastante. A Praça Vinte e Cinco de Junho é considerada o maior ponto de encontro dos universitários, pois lá se concentram os principais bares da cidade. Dos bares, o mais frequentado é o Mercadinho Preto Velho, o famoso “Bar de Paulo Lomba”, preferido entre os estudantes, que gastam em média de 50 a 100 reais por mês com todo tipo de bebida. Atualmente, assim que chegam calouros, eles são levados à Praça Vinte e Cinco, durante o trote universitário e são direcionados ao Mercadinho.

Paulo Roberto Lomba Pinto, dono do Mercadinho diz que a preferência se mantém por causa da ampla variedade do bar (que também é mercado) e pela facilidade no pagamento, pois lá aceitam todos os cartões. “O bar fica aberto até a madrugada, se faltar alguma coisa na casa de alguém, um alimento ou até produtos de limpeza só vai encontrar aqui”, diz Lomba. Os estudantes concordam com isso “o Mercadinho tem maior variedade, você vai a outros bares e tem pouca opção. Se sair a partir das 22 horas procurando um remédio, preservativos, ‘miojo’, vai encontrar no bar de Lomba, lá tem tudo e fica aberto até mais tarde” afirma o estudante de jornalismo Lucas da Silva Fernandes.

 

A história do Mercadinho

Inaugurado em 1991, o Mercadinho Preto Velho é considerado tradicional em Cachoeira, mas nem sempre foi tão movimentado quanto hoje. Há alguns anos, antes da chegada da Universidade, os cachoeiranos costumavam se reunir no Parque Infantil Doutor Goes Calmon, mais conhecido como Praça do Faqui. Morador da cidade desde que nasceu e também estudante de Serviço Social da UFRB, Rafael Barbosa Calumbi da Silva, diz que a Praça Vinte e Cinco de Junho e o bar de Paulo Lomba se tornaram mais movimentados depois de uma reforma na orla, que fica justamente em frente à Praça. “Antigamente, o movimento de Cachoeira era na Praça do Faqui, só que teve uma obra no porto, então as pessoas migraram para a ‘Vinte e Cinco’, e Paulo Lomba virou o ‘point’” diz Rafael.

 

Mercadinho Preto Velho
Mercadinho Preto Velho, na Praca 25 de junho. (Foto –  Thamires Almeida)

 

 

Com unanimidade na preferência da cidade, o Mercadinho Preto velho, acabou se tornando ponto turístico. Quem passar por Cachoeira e não visitar a Praça Vinte e Cinco de Junho e o bar de Paulo lomba, definitivamente não conheceu a cidade.

 

Curiosidade

Antes de a Universidade chegar, havia uma “disputa” entre os dois principais bares da cidade, o Mercadinho Preto Velho e a Cabana do Pai Tomás. Com o falecimento do proprietário da Cabana, o bar de Paulo lomba ganhou hegemonia na preferência dos cachoeiranos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *