Alunos reivindicam instalação de um RU

A ausência de um Restaurante Universitário no Centro de Artes, Humanidades e Letras dificulta aos alunos o atendimento de demandas de matérias nos turnos diurnos.

Anaize Rodrigues

 

Os alunos da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia não possuem Restaurante Universitário, nem um espaço onde possam fazer suas refeições adequadamente. Isso acaba atingindo diretamente a vida acadêmica, pois os custos aumentam e muitos estudantes não possuem nenhum tipo de auxílio para ajudar em suas despesas mensais.

Em pesquisa feita com estudantes do CAHL, constatou-se a necessidade de um RU, que facilitaria a vida de muitos universitários, evitando gastos e aumentando a disponibilidade de muitos alunos em estar na faculdade o dia todo. Assim, poderiam adicionar mais matérias na sua grade curricular ou até mesmo realizar estudos no horário oposto ao das aulas.

A copa do Centro, utilizada pelos alunos que levam suas refeições de casa, fica no setor administrativo e deveria ser de uso exclusivo dos servidores. Diante das dificuldades existentes, ela é disponibilizada para os estudantes, que só podem esquentar as marmitas no microondas até as 12h30m. As refeições são feitas em uma sala de reunião no mesmo setor. A falta de informação sobre a existência da copa ainda priva muitos alunos de a utilizarem.

A estudante de Comunicação Social – Jornalismo, Ivana Moreira, 26, que reside na cidade de Cruz das Almas, diz que nas segundas, terças e quintas, quando ficava na faculdade durante todo o dia, costumava frequentar os restaurantes e cada almoço não saía por menos de R$ 18,00. A partir do quarto semestre começou a levar sua própria alimentação,  reduzindo assim o custo, porém, a estudante não se sente confortável em usar um espaço da universidade para simplesmente esquentar sua refeição. “Parece que estamos pedindo um favor. Até horário limite para esquentar o almoço já colocaram! E se tiver aula até mais de 12h30m, vai ficar sem esquentar?” A estudante conclui que se houvesse o RU ela poderia frequentar o Centro praticamente todos os dias, e estaria disposta a pegar mais disciplinas.

Também aluna da UFRB, Elane Nascimento, 20, que cursa Ciências Sociais, leva sua própria refeição de casa. Ela mora na cidade de Cruz das Almas e gasta em média de R$ 150,00 por mês. “Não esquento a refeição e sinto falta de um espaço adequado para isto.”

Elen Diana, 24, que também reside na cidade de Cruz das Almas, informa que costuma almoçar nos restaurantes, e com a existência do RU no CAHL ela poderia pegar mais disciplinas. “A faculdade seria minha segunda casa, pois economizaria meus custos em refeições”. Ela afirma gastar em média de R$ 10,00 a R$ 15,00 por dia, nas terças e quintas. “Não costumo almoçar na faculdade, mas quando vou até o setor ficam olhando, como se fosse errado usar o microondas.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *