Berimbau é o maior produtor de orgânicos do Nordeste

Linda Gomes

Conceição do Jacuípe, a 90 km de Salvador, abriga hoje a maior produção de orgânicos certificados do Nordeste. Seu cultivo é totalmente monitorado com a finalidade de produção livre de defensivos químicos. O que caracteriza seu diferencial em relação ao plantio convencional.

Pedro de Andrade Júnior, produtor que dá o título de maior produção orgânica ao município, contou que há 14 anos, após desconfiar que problemas de sua saúde teriam sido causados pelo contato frequente com defensivos químicos usados na lavoura, decidiu modificar sua forma de produção e iniciar o plantio orgânico. Para ele os desafios de cultivar orgânicos são grandes e o retorno só vem depois de tempo de adequação. O enquadramento exige planejamento de produção e certificação de que não irá prejudicar o meio ambiente. As técnicas de cultivo são determinadas pela certificadora que exige algumas práticas como, rotação de culturas, controle biológico com insetos, barreira vegetal com nim, adubação a partir de biofertilizantes, compostos de estercos de origem animal e adubação verde e capacitação das pessoas que colaboram com o método. 

Pedro Andrade Junior Foto Linda Gomes
Pedro Andrade Junior- produtor de orgânicos certificados
Foto -Linda Gomes

Principais diferenças

Enquanto o manejo da produção orgânica é toda feita com acompanhamento, com analises que vão do solo à qualidade da água, afim de ser licenciado como orgânico garantindo ser um produto livre de adubação química.

Na agricultura convencional, para produzir e comercializar, não existe fiscalização do Ministério da Agricultura nem de certificadoras. O uso de fertilizantes químicos depende da necessidade de combater a praga e os efeitos da produção são mais rápidos e com custo mais barato de até 30%. As diferenças de tempo são grandes, “Cem dias é o tempo que leva para colher um alface bom para o consumo na produção orgânica, Já a mesma alface cultivada de forma hidropônica (plantio em cubos com água e fertilizantes) leva cerca de 21 dias” afirmou Pedro Júnior.

Benefícios

O trabalho prático nas duas formas de fabricação são em sua maioria manuais. E o contato direto com os produtos químicos causam intoxicações e diversos problemas de saúde nessas pessoas.

As vantagens do consumo orgânico são diversas, para quem consome e para quem produz. As diferenças não são visíveis a olho nu na prateleira do supermercado, porém é importante saber que a ausência do contato com os defensivos químicos que causam intoxicações e diversos problemas de saúde em quem colabora com a produção é mais um dos benefícios por trás dessa forma de fazer agricultura.

Para quem usa, os proveitos na saúde são os mais visíveis. Estudos tem demonstrado que os agrotóxicos são prejudiciais ao organismo e os resíduos que permanecem nos alimentos podem provocar reações alérgicas, respiratórias, distúrbios hormonais, problemas neurológicos e até câncer.

Laecio da Silva Pereira, agrônomo, citou mais algumas vantagens desse tipo de agricultura para o consumidor: ”existem vantagens na saúde alimentar, uma melhor qualidade nos produtos e são mais saudáveis. Sua produção respeita o meio ambiente, evitando a contaminação de solo, água e vegetação; a produção usa sistemas de responsabilidade social, principalmente na valorização da mão-de-obra.”

Alimentos orgânicos são mais nutritivos e a Berimbau Orgânicos empresa que detêm a maior produção do Nordeste, certificada pela Inspeções e Certificações Agropecuárias e Alimentícias, acredita nesse tipo de produção e pretende alcançar metas ainda maiores com as facilidades atuais de disseminação do conhecimento sobre a importância do consumo consciente no mercado alimentício atual.

Custos

O preço do produto certificado tem uma margem de custo que não altera constantemente. Independente de carência de produção em determinada época na agricultura. Eles possuem valores mais elevados do que os convencionais por necessitarem de questões de logística maiores. Que vem desde embalagens, caminhões climatizados para transportar, alvará sanitário, detetização dos galpões de armazenamento e despesas com funcionários que devem estar legalizados com carteira assinada.

Outro custo fixo é com o profissional de engenharia agrônoma, que assina como responsável pela empresa. Esse trabalho se resume em realizar e monitorar o sistema de plantio orgânico para que se adeque a normativas estabelecidas para a produção.

Laecio da Silva Pereira, agrônomo explicou mais algumas vantagens desse tipo de agricultura para o consumidor, ” existem vantagens na saúde alimentar, uma melhor qualidade nos produtos e são mais saudáveis. Sua produção respeita o meio ambiente, evitando a contaminação de solo, água e vegetação; a produção usa sistemas de responsabilidade social, principalmente na valorização da mão-de-obra.

Encontrar esses produtos ainda não é tão comum em todos os supermercados ou feiras livres, mas com criticidade e exigência de quem consome os pontos de venda tem sentido necessidade de mudança e cada vez mais o orgânico se faz presente no prato da população brasileira.

Saiba onde encontrar online orgänicos certifiados nos seguintes links:   www.emporiumorganico.com.br   e  www.korin.com.br

4 comentários sobre “Berimbau é o maior produtor de orgânicos do Nordeste

  1. Na Perini os preços estão exagerados. Assim, só um grupo reduzidíssimo compra os produtos Berimbau. Um exemplo: 01 kg de quiabo por R$ 38,00! Isso, inclusive, retrata mal o nome da Berimbau!
    Lafaiete Spínola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *