Consumo de peixes traz inúmeros benefícios à saúde

Karlos Vynicius

Amargosa – O consumo de peixes aumenta exponencialmente todos os anos durante a Quaresma, que corresponde ao período de 40 dias após o Carnaval. É tradição se abster de carnes vermelhas em todo o país, principalmente no Nordeste, onde os cristãos costumam trocar a ingestão de carne bovina ou suína por outros alimentos, principalmente peixes.

A nutricionista Cleonice Ribeiro, mestranda em Ciências dos Alimentos pela UFBA, explica que a ingestão de peixes é bastante favorável à saúde do ser humano “por se tratar de um alimento no qual encontramos uma fonte de proteína de fácil digestão, sendo melhor que as carnes vermelhas. Além de possuir na sua composição o ácido graxo essencial, o ômega-3 e a baixa presença de gorduras saturadas, assim o consumo de peixes torna-se benéfico à saúde.”

Ela ainda afirma que os peixes contribuem no tratamento de doenças que atingem boa parte da população mundial:  “Estudos demonstram que eles são  favoráveis para portadores de diabetes, hipertensão, depressão e ajudam no alivio da artrite reumatoide, tudo isso devido a sua ação anti-inflamatória.” Além disso, Cleonice diz que devem ser dadas preferência ao atum, bacalhau, sardinha e salmão, por possuírem maiores quantidades de ômega-3, além do que devem ser consumidos pelo menos uma vez por semana.

É tradição o consumo de peixes e carnes brancas durante o período da Quaresma. Foto: G1
É tradição o consumo de peixes e carnes brancas durante o período da Quaresma.
Foto: G1

O comerciante Nilton Pinheiro, afirma que em seu supermercado, as vendas de peixes aumentam cerca de 70% durante a época da Quaresma em relação aos outros meses, e que as expectativas são de manter o aumento nas vendas neste ano. “Para comportar a maior demanda, diminuímos, por exemplo, a compra de frango das distribuidoras e armazenamos em estoque, especialmente, neste período.” Ele conta que as espécies mais procuradas e vendidas nesta época, são Corvina, Bacalhau, Cavalinha e Filé de Merluza. Nilton ressalta ainda que “o consumidor antes de efetuar suas compras deve observar, além do preço, as condições de refrigeração e a aparência dos pescados.”

Existem diversas maneiras de se preparar um bom prato de peixe, cada um com uma característica particular. Para Cleonice, “os peixes devem ser preparados de preferência cozidos, grelhados ou assados, evitando serem fritos, por diminuir a quantidade de ômega-3. O peixe que requer um cuidado especial  é o bacalhau,  pois necessita ser dessalgado, retirando-se o excesso de minerais, para não causar problemas aos hipertensos.”

Os peixes, tanto em mercados como em feiras livres, devem ser mantidos sempre congelados e conservados em local apropriado com boas condições de higiene. Além de não ter contato com insetos, como por exemplo, as moscas, afim de manter sua qualidade e seu caráter nutritivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *