De quem é esse banheiro?

Falta de privacidade e sinalização dos banheiros é um problema para estudantes do CAHL.

Deise Almeida

Os alunos do campus de Cachoeira da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia encontram dificuldades para acessar os banheiros do local. Por ser uma universidade pública, ela está aberta para toda a comunidade, o que possibilita que os banheiros sejam utilizados tanto por estudantes como por outras pessoas da localidade.

Essas dificuldades se tornam mais frequentes para quem utiliza os banheiros da área cinza, localizado na parte de cima das salas do iMAC/laboratório. O banheiro feminino dessa área está com problemas devido ao entupimento de um dos três vasos sanitários, que está interditado e à ausência de uma das portas internas deixando as estudantes sem privacidade, restando somente um banheiro em funcionamento.

Localizado ao lado do banheiro feminino, o que é destinado ao sexo masculino também está inadequado para o uso e se encontra temporariamente fechado. Assim, o banheiro das mulheres também é utilizado pelos homens do Centro, causando constrangimento a todos. Um estudante do curso de jornalismo afirma que evita a utilização desse banheiro para não passar por essa situação.

Assim como na área cinza, os banheiros do auditório também passam pela mesma dificuldade. A diferença é que o feminino está quebrado e somente o masculino está disponível para atender a necessidade de ambos os sexos, porém os mictórios desse banheiro estão quebrados, restando apenas os vasos sanitários. Em períodos de eventos de grande dimensão em que o número de pessoas é maior, há um ainda maior desconforto em utilizá-los.

Quem chega à universidade pela primeira vez acaba se perdendo entre os WC, por não haver sinalizações que destaquem para qual sexo alguns eles são direcionados. Alguns estudantes relatam que ao chegaram pela primeira vez à instituição entraram em banheiros do sexo oposto por falta dessas sinalizações nas portas, já outros afirmam que só conseguiram distinguir o banheiro por causa da existência ou não do mictório e da presença de outras pessoas no local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *