Dossiê Reverso na Festa da Boa Morte

A Irmandade da Boa Morte sempre foi alvo de curiosidade e admiração de muita gente ao redor do mundo. Sua importância histórica e cultural de preservação de costumes e de força feminina atraem olhares curiosos. Roupas, joias, culinária e o mundo da Irmandade, com seu sincretismo, fé e misticismo, a mistura entre o candomblé e o catolicismo, a festa, que mescla o sagrado e o profano é uma fonte de encanto e riqueza. Patrimônio Imaterial da Cultura, considerada um dos tesouros de Cachoeira, a Irmandade da Boa Morte surgiu no século XIX, no contexto da escravidão no Brasil, com o objetivo de comprar cartas de alforria para escravos com a venda de iguarias.

 

Após 1888, as irmãs da Boa Morte seguiram unidas e passaram a tradição ao longo dos anos para filhas e netas. Ainda hoje, apenas mulheres negras, com descendência de escravos, podem tornar-se integrantes da Irmandade. Mas, ao que parece, esqueceram de contar isso aos cachoeiranos. Apesar de ser uma expressão cultural de relevância em vários cantos do mundo, a Festa de Nossa Senhora da Boa Morte não é tão apreciada pelos anfitriões, mesmo tendo um calendário fixo e com divulgação nas redes sociais e nas ruas. Nas ruas fora do Centro Histórico é como se fosse um dia comum.

No dia 15 de agosto, ápice da festa, as irmãs realizam um trajeto maior durante a procissão de Assunção de Nossa Senhora da Glória. Nas ruas comerciais, as lojas continuam abertas, os proprietários e funcionários chegam às portas para apreciar o cortejo por alguns minutos e, logo em seguida, retornam ao ritmo comum do dia. Os motivos parecem remontar aos primeiros anos de infância. Não há nas escolas um ensino voltado para as tradições culturais e historicidade do município. Assim, gerações se formam e seguem alheias ao seu próprio pertencimento.

Neste ano, o Reverso seguiu as procissões, foi a missa, conversou com as irmãs, moradores, turistas e empresários para contar histórias da festa que tem 236 anos e muito para ensinar. 

Dossiê Reverso na Festa da Boa Morte

[Quiz] Você conhece a Irmandade da Boa Morte?
+ A Festa da Boa Morte pelo olhar do outro: o que leva turistas e moradores locais a comparecerem à celebração?
+ Antes de ser irmã…
+ Crise econômica atinge hotéis e restaurantes durante a festa da Boa Morte
+ Festa da Boa Morte: Ligação entre a Igreja Católica e a Irmandade
+ Casa Estrela: lugar de afirmação e memórias
[Galeria] O que rolou no terceiro dia da Festa da Boa Morte?
+ Turismo durante a Festa da Boa Morte
A indumentária das irmãs da Boa Morte

Texto Camilla Souza | Gif Caique Fialho | Foto de capa Bruno Leite

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *