Dossiê Reverso: Educação

 

Reverso Online retorna ao tema da Educação num momento crucial da história do nosso país. A sugestão das pautas, feitas pelos próprios alunos da disciplina Oficina de Jornalismo Online, brotou de forma espontânea, em sala de aula, plenamente afinada com a realidade dos que vivenciam, com certa perplexidade, as anomalias existentes hoje no âmbito da educação, seja no ensino superior ou mais especificamente das universidades públicas, seja no ensino médio e fundamental.

Nas matérias que compõem este dossiê, uma questão se impõe de forma preocupante ou mesmo alarmante para todos os segmentos que envolvem o universo da aprendizagem e da formação da cidadania, na relação dos alunos entre si, com funcionários, professores e com o entorno social de cada escola. Trata-se da violência nas suas diversas manifestações: físicas, simbólicas, psicológicas, estruturais.

Cabe nesse universo específico, de dores e desajustes, agressões físicas sofridas por jovens e adolescentes em áreas rurais, envolvendo até mesmo o uso de armas, mas também o intenso sofrimento advindo de problemas psicológicos e psiquiátricos, na própria universidade, dentre os quais se sobressaem os cada dia mais frequentes casos de depressão ou dos chamados transtornos de ansiedade.

Violência que, vale ressaltar, não nasce dentro das instituições de ensino, mas do próprio entorno social, e que encontra nessas mesmas instituições uma necessária resistência na forma de amparo e orientação. Caso da violência doméstica e do abuso de menores que tem na orientação sexual uma forma eficaz de combate aos crimes sexuais contra crianças e adolescentes.

O Reverso aborda também questões polêmicas, a exemplo da municipalização do ensino fundamental e do seu impacto sobre alunos e professores, e da militarização das escolas a partir de um modelo disciplinar adotado em parceria das prefeituras com a Polícia Militar.

Em se tratando do Recôncavo Baiano, vale abordar a questão da educação por outros ângulos, a exemplo de saberes populares, como o da pesca artesanal de matriz indígena e afro-brasileira transmitida pelos mestres aos “moços”; das orquestras filarmônicas, de vital importância na formação musical e na inclusão social de jovens e adolescentes, e, por fim mas não menos importante, na saudável discussão e análise dos métodos de ensino e aprendizagem a partir da letra da canção “Estudo errado” de Gabriel o Pensador.

Que o Reverso possa contribuir para a afirmação da importância da universidade pública na formação do conhecimento. Conhecimento que nos liberta das amarras da miséria e da alienação, proporcionando a tão urgente e necessária inclusão social.

 

Carlos Ribeiro

Jornalista, escritor

Professor da UFRB

Editor – Reverso Online

 

Dossiê Reverso: Educação

+ Reordenação e Municipalização nas escolas de Conceição do Almeida

Letra de canção que critica a conduta do ensino básico no Brasil é pauta de discussão

“Te pego na saída”: violência nas Escolas da Zona Rural de Muritiba

O ensino musical gratuito na localidade tem ofertado aos jovens mais possibilidades de ascensão educacional e profissional

Educação Sexual potencializa o combate aos crimes sexuais contra crianças e adolescentes

Efeitos da militarização em Maragojipe

+ Sofrer Não é Normal

Municipalização do ensino fundamental afeta alunos e professores em Cachoeira

Número de educadores afastados levanta discussão em Cruz das Almas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *