Fim do São João em Maragojipe

Após três anos sem o tradicional Forró do Cais, comerciantes reclamam e os moradores tentam manter a tradição viva.

Por Liane França

Idealizado pelos maragojipanos Jorge Pantera, Edite do Cajá e Nanai de Bagaço, nasceu o Forró do Cais de Maragojipe. Eles saíram pelas ruas recolhendo assinaturas dos moradores da cidade para um abaixo assinado que foi enviado ao então prefeito da época. Bartolomeu Texeira, ao ver o grande número de assinaturas, resolveu organizar a festa que teve sua primeira edição em 1987.

Todos os anos, desde então, a cidade e os turistas ficavam na expectativa para quais seriam as atrações trazidas nos dias 22, 23 e 24 de junho.  O comércio dobrava a quantidade de mercadorias para suprir o aumento das vendas naquele período. Os bares e os ambulantes se preparavam meses antes, pois o consumo de cerveja e licor era intenso.

No entanto, em 2017, o que seria a 30ª edição do Forró do Cais foi cancelada, deixando moradores, turistas e principalmente os comerciantes aflitos. Neste mesmo ano, devido às muitas especulações, a prefeitura revelou em entrevista ao G1 Notícias, que a festa não seria realizada, com o intuito de conter gastos, por conta da crise econômica que o país estava enfrentando e também atingiu o município, que teria outras prioridades.  O ambulante Josevan Oliveira, que desde os 15 anos vendia cerveja com sua mãe durante o Forró, está indignado com o fim da festa. “Hoje tenho 24 anos, já tiramos durante o São João o dinheiro para nossas compras dos três meses seguintes. Não só nós, ambulantes, sentimos com isso, mas os donos de mercados, os restaurantes. Foi ruim para todo o comércio.”

Segundo o atual secretário de Cultura, Francisco Gomes, Maragojipe é uma cidade que promove muitos eventos. A Festa de São Bartolomeu, por exemplo, padroeiro da cidade, antes tinha seus principais custos pagos pela paróquia, hoje, com os cortes, as principais verbas são direcionadas para a parte profana da festa e a prefeitura tem todos os custos com a festa de largo, regata e atrações. “De junho para agosto, temos apenas um mês para nos programarmos e como a Festa de São Bartolomeu é a principal da cidade, optamos por cancelar o Forró do Cais e garantir uma boa Festa de Agosto.”

Ainda assim, o secretário deixou claro sua intenção de resgatar o Forró do Cais, com um projeto novo, buscando valorizar os artistas da terra, as quadrilhas e o clima de São João de interior.

Os maragojipanos tem se empenhado para não deixar o São João morrer, as fogueiras nas portas, um forró organizado pelos próprios moradores em seus bairros e a certeza de que a tradição vive com ou sem a colaboração da prefeitura.

Local onde acontecia o Forró do Cais, este ano completamente deserto.
Foto: Liane França
Forró do Cais, em 2012
Fonte: reconcavoagora.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *