Motociclistas de Cachoeira não gostam de usar capacete

Laerte Santana

Embora a falta do capacete seja uma das mais graves infrações de trânsito, em Cachoeira, a utilização do equipamento tornou-se facultativo. Sem fiscalização no município, condutores e passageiros trafegam nas vias públicas sem nenhuma preocupação.

DSCN3189 (2)
Em Cachoeira a circulação de condutores e passageiros sem capacete é comum. Foto: Laerte Santana

Não usar equipamento de segurança aumenta o risco de lesões graves na cabeça, uma região sensível do corpo. O uso do capacete pode ser a diferença entre a vida e a morte. Segundo o DENATRAM, 28% dos casos de acidentes com moto ocorrem com pessoas que estavam sem o item de segurança.

O coordenador geral da divisão de trânsito e tráfego da cidade, Raimundo Correia Pinto, afirmou que é preciso a municipalização do trânsito para que uma inspeção possa ser feita. Confira na integra a reportagem.

Certificado

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, trafegar sem o uso do capacete é infração gravíssima, punida por multa e com suspensão da carteira de habilitação.

O capacete motociclístico deve estar certificado por organismo creditado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial –INMETRO, de acordo com regulamento de avaliação da conformidade por ele aprovado.

Capacetes permitidos

Existem, basicamente, sete modelos de capacetes certificados, permitidos para o uso, conforme o Anexo à Resolução n. 453/13:

1 – capacete integral (fechado) com viseira;

2 – capacete integral sem viseira e com pala (uso obrigatório de óculos);

3 – capacete integral com viseira e pala;

4 – capacete modular (com queixeira articulada);

5 – capacete misto com queixeira removível com pala e sem viseira (uso obrigatório de óculos);

6 – capacete aberto (jet) sem viseira, com ou sem pala (uso obrigatório de óculos); e

7 – capacete aberto (jet) com viseira, com ou sem pala.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *