Pós-Graduação da UFRB ganha novo curso

Mestrado em Comunicação é aprovado para funcionamento no Centro de Artes, Humanidades e Letras.

Leandro Queiroz

O Mestrado em Comunicação (PPGCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia terá início no período letivo 2017.2, sediado no Centro de Artes, Humanidades e Letras, em Cachoeira. Após aprovação da proposta com nota 3 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) no dia 5 de janeiro de 2017, a direção do Centro e a coordenação do Mestrado iniciaram as tomadas de decisões para o seu pleno funcionamento.

O PPGCOM definiu suas linhas de pesquisa em ‘Comunicação e Memória’ e ‘Mídia e Sensibilidades’ na busca da valorização das especificidades da região a fim de fortalecer a cultura científica em Comunicação no Recôncavo da Bahia.

Perseverança foi um dos trunfos dos idealizadores para a implantação do PPGCOM, visto que a proposta submetida à CAPES na Apresentação de Propostas de Cursos Novos (APCN), em 2015, não obteve aprovação. Diante das justificativas, a Comissão de Organização da proposta – composta pelos professores Jorge Cardoso Filho, Renata Pitombo e Herica Lene – incumbiu-se das devidas ressalvas especialmente referentes ao corpo docente.

“Nós fizemos as alterações que eles sugeriram, inclusive incorporando professores novos, mesmo que de outra instituição, mas que tivessem uma experiência maior no campo da produção e da orientação. Quando submetemos novamente em 2016 fomos contemplados e o programa foi indicado a funcionar”, revelou Jorge Cardoso Filho, professor e diretor do CAHL.

A área de concentração do Mestrado é em Mídia e Formatos Narrativos abrangendo duas linhas de pesquisa: ‘Comunicação e Memória’ e ‘Mídia e Sensibilidades’. Inicialmente, participarão do corpo docente nove professores permanentes, além de um professor colaborador. Destes, definiu-se cinco professores para cada uma das linhas com o intuito de garantir uma maior equidade na orientação individual das dez vagas para ingressos no PPGCOM.

Há uma tendência em tentar articular uma demanda tradicional no CAHL, relativa à discussão sobre gênero, etnia e raça no campo das representações midiáticas, segundo Jorge Filho que também integra o corpo docente do PPGCOM. “Para nós, será bem importante fazer com que os temas que já aparecem na discussão do CAHL tenham uma nova incidência com essa entrada do agente midiático comunicacional”, ressaltou ele em relação aos projetos submetidos.  Estes foram elogiados pela coordenadora do Mestrado, Renata Pitombo, por conta da forte influência das especificidades regionais como fonte de inspiração para as pesquisas que vão ao encontro da missão do PPGCOM de sedimentar um perfil atento e sensível a essas especificidades de Cachoeira, do Recôncavo e seu entorno.

“De antemão, precisamos trabalhar muito essa questão da pesquisa, principalmente no âmbito da nossa própria Universidade. Precisamos estimular a formação dos nossos alunos de graduação para uma pós-graduação. Pois, sentimos certa fragilidade ainda na elaboração dos projetos”, ponderou Renata.

As professoras Renata Pitombo (coordenadora) e Herica Lene (vice-coordenadora) representam o Colegiado do PPGCOM nas instâncias da UFRB

A expectativa é que com a consolidação do PPGCOM as vagas ofertadas sejam ampliadas e o nível da qualificação, na área, seja atendido no interior da Bahia com a participação de um público inclusivo. Cabe o empenho do Colegiado do Curso para que sejam viabilizadas as ações afirmativas nesta pós-graduação.

“Isso é essencial para que tenhamos cada vez mais um corpo docente, inclusive na área de Comunicação, com maior diversidade étnico-racial, de gênero etc. Se formos observar o corpo docente de Comunicação no Brasil, vemos poucos professores negros e trans. Até diria que professores com militância existem, mas professores trans, negros e negras são muito difíceis.  Para nós é importante atuar no sentido de fortalecer essas políticas na pós-graduação”, comenta Jorge Filho.

O PPGCOM é o quarto programa de pós-graduação no Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e o segundo, na área de Comunicação, implantado em instituição pública do estado. Não houve novas instalações no Centro para acolher o Mestrado, apenas foram feitas adequações nos espaços físicos já disponíveis para salas de aula e da coordenação. As aulas inaugurais no semestre letivo 2017.2 ainda não contemplarão estudantes ingressos pelo sistema de cotas, obedecendo a Portaria Normativa nº 13, de 11 de maio de 2016, do Ministério da Educação (MEC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *