Presença de cães de rua no Quarteirão Leite Alves gera controvérsias

Abandono e maus tratos estimulam esses animais a procurarem abrigo nas dependências da UFRB.

Michelle Brito

Os cães de rua, em Cachoeira, vivem à mercê de restos de comida e abrigos para sobreviverem, e quem frequenta o Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) está acostumado a encontrar esses animais nos arredores da universidade. Neste ambiente o animal se instala com facilidade, porque encontra uma grande circulação de pessoas que fornecem água, alimentos e carinho.

Os animais têm passe livre pelos corredores do prédio. Os alunos concordam que eles têm direito ao respeito e ao cuidado, no entanto, a permanência de cães na universidade representa um problema de saúde pública, compromete o bem-estar das pessoas e dos próprios animais, por viverem em um local inadequado.

A estudante de jornalismo, Tayse Santos diz que para ela o problema não são os animais em si, mas o fato de ocuparem um espaço inadequado para eles mesmos e também para os funcionários e alunos, o que pode facilitar a transmissão de doenças como a leishmaniose.

Cachorro transitando pelo centro universitário – Foto: Deise Almeida

A questão divide opiniões dentro da universidade: há os que defendem a presença dos animais e os que se sentem incomodados com eles dentro do espaço acadêmico. Os estudantes de cinema, Pedro e Fred, os acham super tranquilos, e até se dispõem a ajudar para a saúde deles, quando necessário. Fred conta que o único incômodo que sente é quando os cães entram nas salas de aula, pois acaba rolando uma certa distração, mas que, nas dependências do Centro, não vê problema nenhum.

Os estudantes e frequentadores do CAHL contribuem para o aumento dos números de cães no campus quando oferecem alimentos ou os acolhem, e os alimentos deixados acabam atraindo também outros animais. A comunidade acadêmica incentiva a adoção de animais abandonados, lembrando que é necessário procurar a assistência de médico veterinário para obter informações sobre o estado de saúde dos cães, antes de assumir a guarda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *