Rádio comunitária sai do ar após quinze anos em funcionamento

Determinação da Anatel surpreende ouvintes e deixa Paróquia de Cachoeira sem o seu principal veículo de comunicação

Almir Ferreira

Magníficat, a rádio mais antiga em funcionamento no município de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, saiu do ar por ordem da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que recusou o pedido de renovação do contrato. O motivo alegado é o de que, por ser ligada à Paróquia de Cachoeira, estaria fora dos padrões da legislação e não poderia mais ser mantida.

A rádio, que existia há quinze anos, chegou ao fim sob lamentos e protestos, por ser de grande importância para a população de Cachoeira, à qual prestava serviços relevantes como a cobertura de jogos de futebol e de eventos da cidade. Para a população é uma grande perda por ser ela considerada por muitos o mais importante meio de informação e comunicação da cidade.

O ex-diretor Ivanildo Paulo, disse que durante os cinco anos de sua gestão a rádio passou por diversos problemas e que às vezes era necessário tirar dinheiro do próprio bolso para mantê-la, o que dependia também do apoio de colaboradores.

Os locutores Thiago Lima e Geise Ribeiro, que trabalhavam na rádio há alguns anos, ficaram tristes com o fechamento por não serem informados com antecedência. Porém estavam cientes de que havia a possibilidade dela ser fechada. Segundo o diretor Alan Bacelar, o fechamento da rádio se deu pelo fato dela ser filiada à Paróquia, e, por esse motivo, estaria de forma ilegal segundo a legislação do Ministério das Comunicações. “Por isso, o contrato teve que ser cancelado”.

Para a rádio ser reestabelecida, ela teria que ser filiada a uma associação com os moradores de Cachoeira. Para fazer a licitação de uma nova emissora, a frequência antiga, 97.9, não seria mais reestabelecida. Enquanto isso não ocorre a população permanece sem uma rádio, porém, ainda é possível ouvi-la via internet pois ela permanece online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *