Relações afetivas na comunicação digital

por Djane Silva

A contemporaneidade vem passando por diversas transformações e influenciando o comportamento humano. Com o advento da internet as mudanças vivenciadas pela sociedade não mudaram apenas o modo de trabalhar ou estudar, mas implicou também na comunicação.

Os limites físicos foram extrapolados, hoje é possível conversar, interagir, criar e manter laços afetivos com outra pessoa que esteja a milhares de distância. A internet atualmente é o meio de comunicação preferido pela maior parte de pessoas no mundo e é difícil evitar que relações iniciem ou terminem em função deste veículo.

Uma pesquisa feita pela agência We Are Social aponta que o Brasil é o terceiro país que passa mais tempo na internet, cerca de 9 horas e 14 minutos. As mídias sociais mais usadas pelos brasileiros são youtube, facebook e whatsapp. Toda essa conexão só foi possível devido  à explosão dos dispositivos móveis e ao acesso à internet de banda larga em qualquer lugar.

A internet rompe com as fronteiras físicas e conecta pessoas a outras pessoas mesmo que seja em lugares distantes. Consequentemente, laços afetivos na era digital sempre irão surgir, afinal, quanto mais tempo conectados, mas probabilidade de criar relações com pessoas que você conheceu em um grupo do whatsapp, no facebook ou em outras plataformas digitais.

 

Afetividade na Web

Para Luciraia Pereira, estudante de pedagogia, as redes sociais não são um problema para os relacionamentos. “Isso vai depender de cada indivíduo e como esse indivíduo irá lidar com essa exposição. Tive ótimas experiências com a relação virtual, porém é válido ressaltar que o mundo virtual é um espaço que necessita de muita cautela”.

A estudante mantém um relacionamento e contou que conheceu seu noivo através da internet. “Atualmente, estou em um relacionamento que é fruto de rede sociais, porém, não acho a maneira mais correta de se relacionar. No meu caso deu super certo, porém sabemos que nem todos os casos conseguem um final feliz”, concluiu a estudante.

O problema dessas relações dentro da comunicação digital é o percurso que elas podem fazer, afinal, conhecer alguém através da internet pode ser uma experiência perigosa, negativa e pode gerar consequências psicológicas ruins.

A estudante de cinema e audiovisual, Ivanessa Moreira, relatou a sua experiência negativa através das redes sociais. “Criei alguns laços afetivos, porém, não permaneceram. Por exemplo, um garoto e eu  ficamos amigos na época do orkut. Ele se interessou por uma amiga minha que eu apresentei pra ele, e tempos depois ele veio para minha cidade nos conhecer. Porém, acabamos descobrindo que ele era um mentiroso e estava nos enganando, acabamos correndo perigo, mas graças a Deus a história terminou bem”.

Jeiel Filho, designer, acredita que as pessoas tendem a permanecer protegidas por um aparelho eletrônico e deixam de experimentar relações de verdade. Segundo ele, as experiências com as relações virtuais trouxeram neutralidade para a sua vida. “Na maioria das vezes foram neutras, nem boas, nem ruins, mas sempre as experiências ruins e outras boas nos levam a um conhecimento posterior, pessoalmente.”

*

Psicóloga fala sobre a relação digital e o comportamento humano.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *