Terno de Reis, tradição em Conceição do Almeida

O Dia de Reis é celebrado pelas ruas da cidade, um evento católico que lembra o dia em que Jesus Cristo recebeu a visita dos três Reis Magos.

Por: Sabrina Ortega

Conceição do Almeida fica ainda mais bonita e colorida celebrando o Terno de Reis.
Foto: Reprodução | Acervo pessoal

As ruas de Conceição do Almeida, interior da Bahia, ficam ainda mais bonitas e coloridas com a tradição que se baseia nos relatos da Bíblia e datas fixadas posteriormente pela Igreja, segundo os quais os chamados Três Reis Magos que iniciaram sua procura por Jesus. Terno de Reis é como são chamadas as canções, ou os pequenos grupos de músicos que as realizam, que têm como referência a história bíblica dos Três Reis Magos e sua chegada ao lugar onde se encontrava o menino Jesus. 

“Terno de Reis das Rosas circula pelas ruas da cidade e casas para louvar o Deus Menino, resistindo e preservando a nossa cultura e fortalecendo a nossa identidade”, declarou Mariangela Carvalho, que se orgulha sempre com o sucesso do evento. As sambadeiras abrilhantam o dia de Reis, circulando pela cidade com muito samba no pé e alegria. São marisqueiras, agricultoras e comerciantes, mulheres que imprimiram sua marca na estética e na política da cultura popular do Recôncavo, por meio do samba e de manifestações culturais.

Muita dança e alegria com as sambadeiras da Melhor Idade.
Foto: Reprodução | Acervo pessoal

Roupas festivas, paetês, flores, alegorias, brilho, danças, cantorias e rezas levam aos moradores a beleza, fé e cultura que mantém viva essa tradição. “Há mais de 60 anos que eu venho festejando essa tradição. Fico muito feliz em reunir crianças, jovens e idosos para festejar a festa dos Três Reis Magos, percorrendo as ruas da cidade”, relata a professora Marina Santos. Os foliões de Reis imitam os Reis Magos, que viajaram guiados pela estrela de Belém.

 

O velho e a velha celebram três gerações de uma família em meio às manifestações de fé dos Ternos de Reis. Foto: Reprodução | Acervo pessoal

“O Terno das Rosas enche a cidade de alegria e beleza. Muita gente deixa as suas casas para assistir a nossa apresentação, me caracterizo sempre como a velha e meu marido como o velho” relata Fátima Cruz, uma das organizadoras. Passando de geração em geração, a certeza é que a tradição será sempre mantida, pois o Dia de Reis tem um papel muito importante no município. “Todo ano fico emocionada quando recebo o cortejo em minha casa. A queima de palhinhas acende ainda mais a minha fé”, revelou dona Maria da Conceição Cerqueira Oliveira, conhecida carinhosamente como “Dona Veinha”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *