Evans sobre Scheingedanke

Palavras-chave: Filosofia da linguagem; Teorias da referência; Pensamento singular; Evans; Frege; Epistemologia.

Resumo

Gareth Evans propôs, em The Varieties of Reference, uma teoria de proposições singulares que incorporava tanto as especulações de Frege a respeito do sentido (Sinn) quanto a estrutura proposicional dependente-do-objeto de Russell. Para isso, defendeu que proposições que contém termos singulares vazios, ou seja, cujo indivíduos denotados são inexistentes, não expressam pensamentos deste tipo. Nesta situação, alguém que enuncie uma sentença que contém termos singulares vazios só pode expressar pensamentos aparentes (Scheingedanke). A interpretação de Evans foi criticada por trabalhos de filósofos como Bell (1990), Geirsson (2002) e Sainsbury (2002). Neste artigo retomarei esse debate para reavaliar as objeções ao argumento de Evans sobre o conceito de Scheingedanke. Defenderei que essas críticas, ainda que fundamentadas em uma leitura cuidadosa de Frege, são insuficientes para desqualificar a tese de Evans. Pelo contrário, sugiro que seu projeto seria melhor apreciado em um âmbito epistêmico, não puramente exegético. Essa me parece ser uma abordagem mais próxima das intenções do autor ao elaborar sua teoria sobre pensamento singular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Renato Salatiel, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), São Paulo – SP, Brasil. Professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória – ES, Brasil.

Referências

BACK, Kent. Thought and reference. Oxford: Clarendon Press, 1987.

BELL, David. How Russellian was Frege? Mind, v. 99, n. 394, p. 267-277, Apr. 1990

DUMMETT, Michael. Frege’s distinction between sense and reference. In: Truth and other enigmas. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1978.

EVANS, Gareth. The varieties of reference. Oxford: Oxford University Press, 1982.

EVANS, Gareth. Understanding demonstratives. In: EVANS, Gareth. Collected papers. Oxford: Clarendon Press, 1985.

FREGE, Gottlob. Posthumous Writings. HERMES, Hans; KAMBARTEL, Friedrich; KAULBACH, Friedrich (eds.). Trans.: Peter Long; Roger White. Oxford: Basil Blackwell, 1979. [Citado como PW.]

FREGE, Gottlob. Philosophical and Mathematical Correspondence. GABRIEL, Gottfried et al (eds.). Trans.: Hans Kaal. Oxford: Basil Blackwell, 1980. [Citado como PMC.]

FREGE, Gottlob. O pensamento. Uma investigação lógica. In: Investigações lógicas. ALCOFORADO, Paulo (Org., trad. e notas). Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002, p. 11-39.

FREGE, Gottlob. Sobre o sentido e a referência. In: FREGE, Gottlob. Lógica e Filosofia da Linguagem. Seleção, introdução, tradução e notas: Paulo Alcoforado. 2. ed. amp. e rev. São Paulo: Unesp, 2009a. p. 129-158.

FREGE, Gottlob. Dezessete sentenças básicas da lógica. In: FREGE, Gottlob. Lógica e Filosofia da Linguagem. Seleção, introdução, tradução e notas: Paulo Alcoforado. 2. ed. amp. e rev. São Paulo: Unesp, 2009b. p. 207-209.

FREGE, Gottlob. Basic Laws of Arithmetic. Derived using concept-script. Vols. I & II. Transl. and ed. Philip A. Ebert; Marcus Roosberg; Crispin Wright. New York, NY: Oxford University Press, 2016.

GEIRSSON, Heimir. Frege and object dependent propositions. Dialectica, v. 56, n. 3, p. 299-314, 2002.

JESHION, Robin. Introduction. In: JESHION, Robin (Ed.). New essays on singular thought. Oxford: Oxford University Press, 2010.

KAPLAN, David. Demonstratives: an essay on the semantics, logic, metaphysics, and epistemology of demonstratives and other indexicals. In: ALMOG, Joseph; PERRY, John and WETTSTEIN, Howard (eds.). Themes from Kaplan. New York: Oxford University Press, 1989, p. 481–564.

KRIPKE, Saul. Naming and Necessity. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1980.

McDOWELL, John. [1984] De re senses. In: McDOWELL, John. Meaning, knowledge, and reality. Cambridge, Mass.; London, England. Harvard University Press, 1998. p. 214-227.

McDOWELL, John. Evans’s Frege. In: McDOWELL, John. The engaged intellect: philosophical essays. Cambridge; London: Harvard University Press, 2009. p. 163-185.

PERRY, John. The problem of essential indexical: and other essays. New York/ Oxford: Oxford University Press, 1993.

RUSSELL, Bertrand. [1917]. Conhecimento por familiaridade e conhecimento por descrição. In: RUSSELL, Bertrand. Misticismo e lógica; e outros ensaios. Tradução de Alberto Oliva e Luiz Alberto Cerqueira. Rio de Janeiro: Zahar, 1977. p. 215-236.

RUSSELL, Bertrand. Da denotação. [1905]. In: RUSSELL, Bertrand. Lógica e conhecimento: ensaios escolhidos. Col. Os Pensadores. 3. ed. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. São Paulo: Nova Cultural, 1989a.

RUSSELL, Bertrand. [1918]. A Filosofia do atomismo lógico. In: RUSSELL, Bertrand. Lógica e conhecimento: ensaios escolhidos. Col. Os Pensadores. 3. ed. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. São Paulo: Nova Cultural, 1989b.

SAINSBURY, R. M. Departing from Frege: essays in the philosophy of language. London and New York: Routledge, 2002.

SCHIFFER, Stephen. The basis of reference. Erkenntnis, v. 13, n. 1, p. 171-206, 1978.

SEARLE, John. Intentionality. Cambridge: Cambridge University Press, 1983.

STRAWSON, Peter Frederick. Individuals: an essay in descriptive metaphysics. London: Routledge, 1990.

Publicado
2019-06-13
Como Citar
SALATIEL, J. Evans sobre Scheingedanke. Griot : Revista de Filosofia, v. 19, n. 2, p. 71-86, 13 jun. 2019.
Seção
Artigos