Antropologia histórica como conceito de história natural em Adorno

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v19i1.1146

Palavras-chave:

Antropologia; História; Natureza; Pulsões; Teoria Crítica.

Resumo

O tema geral do presente artigo trata da antropologia histórica encontrada em “The Authoritarian Personality” e fundamentada em “Dialética do Esclarecimento”. Especificamente, abordaremos a conceituação que compreende as movimentações pulsionais (segundo leitura da teoria freudiana) enquanto natureza interna, fundamento da concepção da antropologia aqui debatida. Com isso, ao falarmos de antropologia e de natureza, não estamos nos referindo a concepções imutáveis e “biologizantes”, mas a noções históricas e contextuais. Para tanto, iremos nos voltar à “Ideia de história natural” adorniana, precisamente à dialética entre história e natureza. No texto, Adorno trata de dois movimentos de tal dialética: uma concepção de Lukács, para quem elementos da história se tornam naturalizados enquanto segundo natureza, o que pode ser exemplificado com o esquematismo hollywoodiano promovido pela indústria cultural; o segundo movimento, sob influência de Walter Benjamin, trata da transitoriedade histórica da natureza, quando resquícios arcaicos reprimidos pelo sentido histórico dominante ressurgem, tornando-se possibilidade de outra orientação histórica. Este debate se mostra importante justamente porque se encontra no cerne da relação entre economia-política/sociologia e psicanálise, os domínios teóricos mais relevantes para a primeira geração da Teoria Crítica. Por mais que pensemos que há uma antropologia implícita para Horkheimer e Adorno – que enxergariam o ser humano enquanto naturalmente agressivo e destruidor –, o nosso intuito é mostrar que, se a antropologia e a natureza são históricas, o ser humano age a partir da pulsão de morte justamente porque o meio social que o forma é ele mesmo dominador, violento, reificado e alienante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virginia Helena Ferreira da Costa, Universidade de São Paulo (USP)

Doutoranda em Filosofia na Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP, Brasil.

Downloads

Publicado

2019-02-28

Como Citar

COSTA, V. H. F. da. Antropologia histórica como conceito de história natural em Adorno. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 25-43, 2019. DOI: 10.31977/grirfi.v19i1.1146. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/1146. Acesso em: 13 ago. 2020.

Edição

Seção

Artigos