O pluralismo cultural dos imaginários sociais modernos segundo Charles Taylor

Palavras-chave: Pluralismo; Cultura. Imaginários; Modernidade; Democracia.

Resumo

Charles Taylor, ao refletir sobre o pano de fundo histórico-cultural da modernidade ocidental, estabelece a tarefa hermenêutica de fazer uma releitura das múltiplas facetas dos imaginários sociais modernos. Esses imaginários acabam sendo diversificados em uma pluralidade triádica e constitutiva de múltiplas formas culturais. Assim, conforme assevera o filósofo canadense, temos a esfera da moderna faceta social que está sob a égide da economia. De modo que essa é entrelaçada com a face estrutural da modernidade como esfera pública. Por fim, e, sem menos importância, encontramos o autogoverno do povo em seu aspecto nuclear de soberania democrática. Então, neste texto, nutrimos a intencionalidade de acompanharmos o pensamento de Taylor, em sua reconstrução delineadora deste tipo de pluralismo, que examina sobre as fontes, ideias e práticas democráticas articuladas a partir destas facetas constitutivas e articuladoras dos imaginários sociais modernos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joel Francisco Decothé Junior, Universidade do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Doutorando na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo – RS, Brasil. Bolsista CAPES-PROSUC.

Kelvin Felipe Weschenfelder, Universidade do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Grupo de pesquisa Filosofia Política, Normatividade e Dialética - Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo- RS, Brasil. Bolsista PROBIC/FAPERGS

Referências

ARAUJO, P. R. M de. Charles Taylor: para uma ética do reconhecimento. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

BERGER, Peter L. Os múltiplos altares da modernidade rumo a um paradigma da religião numa época pluralista. Tradução de Noéli Correa de Melo Sobrinho; revisão da tradução de Gentil Avelino Titton. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

COUTINHO, Carlos Nelson. De Rousseau a Gramsci: ensaios de teoria política. São Paulo: Boitempo, 2011.

DAHL, Robert A. Poliarquia: Participação e Oposição. Prefacio Fernando Limongi; tradução Celso Mauro Paciornik. – 1. Ed. 3 reimpr. – São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 2015.

FORERO REYES, Yelitsa. Marcela. Epifanías de la identidad: la comprensión multiculturalista de Charles Taylor. 1a ed. – Bogotá: Editorial Pontificia Universidad Javeriana, 2008.

OLIVEIRA, J. C. C da. Religião e secularismo em Charles Taylor: por uma modernidade múltipla. In: Filosofia e religião: fenômeno religioso no mundo (pós) secular [recurso eletrônico] / Antônio Glaudenir Brasil Maia (Org.) – Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2018.

OLIVEIRA, Manfredo Araújo de. Ética e racionalidade moderna. São Paulo: Loyola, 1993.

GASDA, Élio Estanislau. Economia e bem comum: o cristianismo e uma ética da empresa no capitalismo. São Paulo: Paulus, 2016. – Coleção Ethos.

GIROLA, Lidia. Imaginarios socioculturales de la modernidad. Aportaciones recientes y dimensiones del análisis para la construcción de una agenda de investigación. Sociológica, vol. 22, núm. 64, mayo-agosto, 2007, pp. 45-76. Universidad Autónoma Metropolitana Distrito Federal, México. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=305024715003. Acesso em: 03 maio. 2018.

HONNETH, Axel. O direito da liberdade. Tradução Saulo Krieger. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emilio ou da educação. Tradução Laurent de Saes. São Paulo: Edipro, 2017.

TAYLOR, Charles. Encanto y desencantamiento: secularidad y laicidad en Occidente. Tradução de José Pérez Escobar. Maliaño (Cantabria): Editorial Sal Terrae, 2015.

TAYLOR, Charles. Argumentos filosóficos. Tradução Adail Ubirajara Sobral. 2. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

TAYLOR, Charles. As fontes do self: a construção da identidade moderna. Tradução de Adail Ubirajara Sobral e Dinah de Abreu Azevedo. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

TAYLOR, Charles. Dilemmas and Connections: selected essays. Cambridge, Massachusetts, and London: The Belknap Press of Harvard University Press, 2011a.

TAYLOR, Charles. Imaginários Sociais Modernos. Tradução: Artur Morão. 1ª edição, fevereiro de 2010. Lisboa: Edições Texto & Grafia, 2010.

TAYLOR, Charles. Uma era secular. Tradução de Nélio Schneider e Luiza Araújo. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2010b.

TAYLOR, Charles. La libertad de los modernos. Traducción de: Horacio Pons. – 1ª ed. – Buenos Aires: Amorrortu, 2005.

VATTIMO, Gianni. Crer que se crê: é possível ser cristão apesar da Igreja? Tradução Klaus Brüschke. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

Publicado
2019-06-13
Como Citar
JUNIOR, J.; WESCHENFELDER, K. O pluralismo cultural dos imaginários sociais modernos segundo Charles Taylor. Griot : Revista de Filosofia, v. 19, n. 2, p. 250-264, 13 jun. 2019.
Seção
Artigos