Prolegômenos da teologia natural em Tomás de Aquino: a possibilidade de um conhecimento racional de Deus

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v21i2.2369

Palavras-chave:

Teologia Natural; Conhecimento; Razão; Deus; Tomás de Aquino.

Resumo

Este artigo visa resgatar os princípios da Teologia Natural no pensamento de Tomás de Aquino no que se refere à possibilidade de um conhecimento racional de Deus. Tomás, influenciado pela filosofia de Aristóteles, vai afirmar que pela razão pode-se chegar à certeza da existência de Deus. Certeza essa que é evidente, mas que precisa ser demonstrada. Para tanto, elabora cinco vias, chamadas de Provas, para comprovar a existência da divindade baseando-se sempre no pressuposto de que todo conhecimento racional tem sua origem na experiência. Todo o trabalho de Tomás de Aquino possui uma continuidade na Filosofia Contemporânea, sendo estudado e desenvolvido por diversos autores que dão forma ao movimento tomista, particularmente dialogando com outras ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Frezzato, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Doutorando em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo - SP, Brasil.

Referências

AQUINO, Tomás de. Suma Theologica. 4. ed. Trad. Alexandre Correria. Campinas: Ecclesiae, 2016.

AQUINO, Tomás de. De Magistro. Sobre o ensino e os sete pecados capitais. Trad. Luiz Jean Lauand. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

AQUINO, Tomás de. Suma contra os Gentios. Trad. De Odilão de Souza. Caxias do Sul: Sulinas, 1990.

ANSELMO, Santo. Proslogion. Alloquiun de Dei existentia. Trad. José Rosa. Civilhã: Universidade Beira Interior, 2008.

ATAÍDE, Glauber. O argumento ontológico de Anselmo de Aosta e as objeções de Gaunilo. Revista Filo – Eletrônica da Faje. Belo Horizonte.v.7, n. 2, p. 293-304, 2016. Disponível em: www.faje.edu.br/periodicos/index.php/pensar/article/download/3. Acesso em 20 de outubro de 2020.

BEUCHOT, Mauricio. A atualidade da filosofia tomista para a filosofia analítica. In: Revista Ágora Filosófica. Pernambuco, n. 10, jan-jul, p. 95-108, 2010. Disponível em: www.unicap.br/ojs/index.php/agora/article/download/46/31. Acesso em 03 de novembro de 2020.

CAMPOS, Sávio Laet de Barros. As Provas da Existência de Deus em Tomás de Aquino. Porto Alegre: Editora Fi, 2016.

CAVALCANTE, Tatyana Murer; OLIVEIRA, Teresinha. Intenção educacional da ética de Tomás de Aquino no contexto citadino no século XIII. In: Educação em Revista. vol.28 no.2 Belo Horizonte jun. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/edur/v28n2/a11v28n2.pdf . Acesso em 13 de outubro de 2020.

COUTINHO, Jorge. Elementos de História da Filosofia Medieval. Braga: Universidade Católica Portuguesa, 2008.

EUFRÁSIO, Thiago de Moliner. Humanismo integral segundo Jacques Maritain: a pessoa humana como ser de relação e promotora de dignidade. In: International Studies and Education. N. 28, jan-abr, pp. 85-92, Portugal. Universidade do Porto, 2018. Disponível em: https://www.academia.edu/36443324/Humanismo_integral_segundo_Jacques. Acesso em 03 de novembro de 2020.

FILHO, Juvenal Savian. O Tomismo e a ética: uma ética da consciência e da liberdade. In: Revista Bioethicos. Centro Universitário São Camilo. n. 2, p. 177-184, 2008. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/415342921/177a184-pdf. Acesso em 03 de novembro de 2020.

FERREIRA, Anderson D’Arc. O Movimento do intelecto em direção a Deus. In: Revista Crítica Histórica. n. 7, jun, p. 233-247, 2013. Disponível em: O Movimento do Intelecto em Direção a Deus | Ferreira | Revista Crítica Histórica (ufal.br). Acesso em 14 de outubro de 2020.

GARDEIL, Henri-Dominique. Iniciação à Filosofia de São Tomás de Aquino. São Paulo: Paulus, 2013.

LARA, Tiago Adão. Ética neotomista de Urbano Zilles. In: Revista de Estudos Filosóficos. São João Del Rei. n. 11, p.227-236, 2013. Disponível em: www.seer.ufsj.edu.br/index.php/estudosfilosoficos/article/downlo. Acesso em 02 de novembro de 2020.

LIMA VAZ, Henrique. Escritos de Filosofia III. São Paulo: Loyola, 1997.

LE GOFF, Jacques. As raízes medievais da Europa. 2 ed. São Paulo: Vozes, 2007.

SANTOS, Ivanaldo. A Atualidade da obra de Tomás de Aquino. In: Revista Aquinate. n.29, p. 23-32, 2016. Disponível em: https://www.aquinate.com.br/textos/atualidade-da-obra-de-tomas-de-aquino. Acesso em 16 de outubro de 2020.

OLIVEIRA, Teresinha. Origem e memória das universidades medievais. A preservação de uma instituição educacional. In: Revista Varia História. Belo Horizonte. vol. 23, n. 37, p. 113-129, jan-jul, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/vh/v23n37/v23n37a07.pdf. Acesso em 13 de outubro de 2020.

RIBEIRO, Wagner Neto; LOPES, Maria Inácia. Educação perene à luz do tomismo. Esclarecendo conceitos, desfazendo equívocos. In: Revista De Magistro de Filosofia. n. 15. Anápolis. Disponível em: catolicadeanapolis.edu.br/revmagistro/wp-content/uploads/2015/. Acesso em 03 de novembro de 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-02

Como Citar

FREZZATO, A. Prolegômenos da teologia natural em Tomás de Aquino: a possibilidade de um conhecimento racional de Deus. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 46–59, 2021. DOI: 10.31977/grirfi.v21i2.2369. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/2369. Acesso em: 1 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos