Medo: o novo mal-estar da humanidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v21i2.2384

Palavras-chave:

Incerteza; Risco; Medo; Retóricas de Ódio; “Outro”.

Resumo

Incerteza, insegurança e vulnerabilidade tornaram-se lugares comuns nas sociedades contemporâneas. Este artigo pretende uma reflexão interdisciplinar sobre a construção social e política do medo na modernidade líquida. Zygmunt Bauman, Leonidas Donskis, Martha Nussbaum, Hannah Arendt, Ulrich Beck, Boaventura de Sousa Santos, Bernard Henry-Levy e Umberto Eco são alguns dos autores que iremos colocar em diálogo para melhor compreender as múltiplas narrativas do medo numa era profundamente marcada pela destruição das certezas sociais, pelo agravamento das desigualdades sociais, pelas lógicas de um capitalismo predador, pelo ressurgimento de nacionalismos de exclusão, bem como de particularismos étnico-culturais, que se movem a partir de discursos xenófobos e racistas e, por fim, pelos novos riscos, como a degradação ecológica e como a pandemia COVID19, que atualmente assola as sociedades contemporâneas e domestica os comportamentos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pilar Damião de Medeiros , Universidade dos Açores (UAc)

Doutora em Sociologia da Cultura pela Albert-Ludwigs Universität Freiburg, Alemanha.  Professora da Universidade dos Açores (UAc), Ponta Delgada, Portugal. Investigadora efetiva do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais – CICS.UAc/CICS.NOVA.UAc.

Paulo Vitorino Fontes, Universidade de Évora (UÉVORA); Universidade dos Açores (UAc)

Doutor em Teoria Jurídico-Política e Relações Internacionais pela Universidade de Évora (UÉVORA), Évora, Portugal. Investigador do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade dos Açores (UAc) e do Centro de Investigação em Ciência Política da Universidade de Évora (UÉVORA).

Referências

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, [1949] 1973.

BAUMAN, Zygmunt. Medo Líquido. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2008.

BAUMAN, Zygmunt. A Chronicle of Crisis 2011-2016. Social Europe Edition, 2017.

BAUMAN, Zygmunt & DONSKIS, Leonidas. Cegueira Moral: A Perda de Sensibilidade na Modernidade Líquida. Lisboa: Relógio D’Água, [2013] 2016.

BECK, Ulrich. Sociedade de Risco: Rumo a uma Outra Modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2010.

CAMPILLO, Antonio. Tierra de nadie. Cómo pensar (en) la sociedad global. Barcelona: Herder, 2015.

ECO, Umberto. Construir o Inimigo e Outros Ensaios Ocasionais. Lisboa: Gradiva, 2011.

HABERMAS, Jürgen. Theorie des kommunikativen Handels Bd. II: Zur Kritik der funktionalistischen Vernunft. Frankfurt am Main, 1981.

LÉVY, Bernard-Henri. Este Vírus Que Nos Enlouquece. Lisboa: Guerra e Paz, 2020.

NUSSBAUM, Martha. The Monarchy of Fear: A Philosopher Looks at Our Political Crisis. New York: Simon & Schuster Paperbacks, 2018.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus. Lisboa: Almedina, 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-02

Como Citar

DAMIÃO DE MEDEIROS , P.; FONTES, P. V. Medo: o novo mal-estar da humanidade. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 191–198, 2021. DOI: 10.31977/grirfi.v21i2.2384. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/2384. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos