Diferença e oposição: uma controvérsia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v21i2.2397

Palavras-chave:

Estruturalismo; Pós-estruturalismo; Saussure; Deleuze; Signo.

Resumo

Os trabalhos cumpre dois propósitos. Tem como objetivo amplo relativizar a divisão entre o estruturalismo e sua pretensa superação ou prosseguimento, com o pós-estruturalismo. O faz a partir de um procedimento específico: o modo como Saussure desenvolve e antecede teses caras a filosofia da diferença de Deleuze. Inicia pela crítica que Deleuze endereça ao estruturalismo do primeiro como incapaz de apreender tanto a diferenciação quanto a organização das diversas formas de experiência. O foco em Saussure se deve ao fato de que Deleuze considera este um descobridor da diferença no âmbito da linguagem, embora insista em lê-la em termos opositivos e, portanto, negativos. Um “descobridor encobridor”, pode-se dizer, que traz à luz a dinâmica diferencial do sentido e, ao mesmo tempo, encobre-a pela imagem tradicional do pensamento que é subordinada à identidade. Em seguida, ficará claro como esta leitura não considera as verdadeiras posições da filosofia da linguagem elaborada por Saussure e que esta deve em muito ser afastada de alguns dos seus considerados herdeiros e seguidores (consideramos o caso exemplar de Trubetskoy, tal como o fizera o próprio Deleuze noutro sentido). A conclusão é que a teoria do valor voltada ao sistema linguístico antecede a teoria diferencial das faculdades que Deleuze emprega a compreender cada das estruturas de nossa existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Dias de Andrade, Universidade de São Paulo (USP)

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP, Brasil. Pós-doutorado em Filosofia na Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP, Brasil.

Referências

BOUQUET, Simon., “Benveniste et la représentation du sens : de l'arbitraire du signe à l'objet extra-linguistique”, In: Linx, 9, 1997.

DELEUZE, G. Différence et répétition. Paris, PUF,1968.

DELEUZE, G. Deux régimes de fous. Paris. Minuit, 2003.

DELEUZE, G. Logique du sens. Paris, Minuit, 1969.

DELEUZE, G. L'ile deserte et autres textes. Paris, Minuit, 2002.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Capitalisme et schizophrénie: t. I: L'anti-Œdipe , Paris, Minuit, 1972.

DERRIDA, Jacques. De la grammatologie. Paris: Minuit, 1967a.

DERRIDA, Jacques. La voix et le phénomène: introduction au problème du signe dans

la phénoménologie de Husserl. Paris: PUF, 1967b.

GADET, Françoise. Saussure: une Science de la langue. Paris: PUF, 1987

MANIGLIER, Patrice. La vie énigmatique des signes. Saussure et la naissance du structuralisme. Paris: Éditions Léo Scheer, 2006.

MERLEAU-PONTY, M. “Sur la phénoménologie du langage”. In: Signes. Paris: Gallimard, 1960.

SAFATLE, Vladimir. “Linguagem e negação: sobre as relações entre pragmática e ontologia em Hegel”. Em: Dois Pontos. Curitiba, São Carlos, vol. 3, n. 1, p.109-146, abril, 2006.

SALES, Alessandro Carvalho. “Deleuze e A lógica do sentido: o problema da estrutura”. In: TRANS/FORM/AÇÃO: REVISTA DE FILOSOFIA. v. 29 n. 2 (2006)

SAUSSURE, Ferdinand de. Cours de linguistique Générale. Payot 1995.

SAUSSURE, Ferdinand de. Escritos sobre linguística general. Barcelona: Editorial Gedisa, 2004.

SÉRIOT, Patrick. Structure and the whole. East, West and non-darwinian biology in the origins of structural linguistics. Boston: Walter de Gruyter, 2014.

Downloads

Publicado

2021-06-02

Como Citar

DIAS DE ANDRADE, A. . Diferença e oposição: uma controvérsia . Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 358–375, 2021. DOI: 10.31977/grirfi.v21i2.2397. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/2397. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos