A crítica feuerbachiana da filosofia especulativa e sua verdade terrivelmente séria em “Princípios da filosofia do futuro”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v2i2.470

Palavras-chave:

Filosofia Especulativa; Teologia Racional; Neoplatonismo.

Resumo

Nosso intento aqui é o de expor os limites da filosofia especulativa a partir da análise crítica de Feuerbach nos Princípios de Filosofia do Futuro. Nesta obra Feuerbach apresenta-nos os fundamentos da filosofia especulativa, a fim de levar-nos a compreendê-la como uma verdadeira teologia racional. Tal afirmação feuerbachiana  funda-se na latente submissão dos filósofos especulativos a temas sugeridos na reflexão teológica, surgidos no período que vai desde a filosofia mosaica aos primórdios do cristianismo, precisamente na filosofia neoplatônica. Analisamos em
nosso trabalho o argumento do filósofo alemão para desmascarar a inversão realizada pela filosofia especulativa, precisamente na herança neoplatônica assumida na modernidade pela filosofia de Hegel.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Fábio Alexandre Nicolau, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Mestre em Filosofia e doutorando em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, Ceará – Brasil, com bolsa Funcap.

Referências

FEUERBACH, Ludwig. Princípios da filosofia do futuro: e outros escritos. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1988.

FEUERBACH, Ludwig. Preleções sobre a essência da religião. Tradução de José da Silva Brandão. Campinas: Papirus, 1989.

FEUERBACH, Ludwig. A essência do cristianismo. Tradução de Adriana Veríssimo Serrão. 2ª ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002.

FEUERBACH, Ludwig. The Mystery of Sacrifice or Man is What He Eats. Tradução de Cyril Levitt. Disponível em: http://socserv2.mcmaster.ca/~econ/ugcm/3ll3/feuerbach/sacrifice.pdf. Acessado em 01 de Maio de 2010.

FEUERBACH, Ludwig. Zur Kritik der Hegelschen Philosophie, GW 9, Berlin, 1970 apud CHAGAS, Eduardo Ferreira. A Questão do começo na filosofia de Hegel - Feuerbach: Crítica ao começo da filosofia de Hegel na Ciência da Lógica e na Fenomenologia do Espírito. In: Revista Eletrônica de Estudos Hegelianos, Recife/PE, v. 2, n. 01, 2005. Disponível em: . Acesso em: 18 de Agosto de 2005.

WEISCHEDEL, Wilhelm. A escada dos fundos da filosofia. 5ª ed. Tradução de Edson Dognaldo Gil. São Paulo: Angra, 2006.

DICKEY, Laurence. Hegel on religion and philosophy. In: BEISER, Frederick C. (Ed.). The Cambridge Companyon to Hegel. Cambridge: Cambridge University Press, 1993. p. 301 – 347.

BERTI, Enrico. Aristote dans les premières critiques adressées à Hegel par Feuerbach, Marx et Kierkegaard. In : THOUARD, Denis. (Ed.). Aristote au XIXe Siècle. Villeneuve d’Ascq: Presses du Septentrion, 2004, p. 23 – 35.

CARAMELA, Santino. La Filosofia di Plotino e il Neoplatonismo. Catanha: Gruppo dei Fascisti Universitari, 1940.

RAMBALDI, Enrico. Il rovesciamento dell’hegelismo. In: GEYMONAT, Ludovico. (Org.). Storia del pensiero filosofico e scientifico – Vol. IV: L’Ottocento. Milão: Aldo Garzanti Editori, 1975. p. 479 – 506.

NICOLAU, Marcos Fábio A. O Projeto de uma Doutrina da Ciência no Idealismo Alemão. In: AMORA, K. C.; COSTESKI, E.; BRILHANTE, A. A. Extratos Filosóficos - 10 anos do Curso de Pós-Graduação em Filosofia da UFC.1 ed. Fortaleza: Edições UFC, 2009, v.7, p. 111-124.

REALE, Giovanni. Storia della filosofia antica – Vol. IV: Le scuole dell’età imperiale. 9ª ed. Milão: Vita e pensiero, 1997.

HELLER, Agnes. Ludwig Feuerbach redivivo. In: Crítica de la Ilustración: las antinomias morales de la razón. Tradução de Gustau Muñoz e José Ignacio López Soria. Barcelona: Ediciones Península, 1984, p. 97 – 133.

Downloads

Publicado

2010-12-13

Como Citar

NICOLAU, M. F. A. A crítica feuerbachiana da filosofia especulativa e sua verdade terrivelmente séria em “Princípios da filosofia do futuro”. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 15–28, 2010. DOI: 10.31977/grirfi.v2i2.470. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/470. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos