Etnocentrismo liberal-democrático, conhecimento e solidariedade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v14i2.717

Palavras-chave:

Etnocentrismo; Conhecimento; Objetividade; Solidariedade.

Resumo

Richard Rorty propõe uma concepção de conhecimento que abandone a pretensão de objetividade entendida como uma representação fiel do mundo em nossa mente ou na linguagem. Para ele, se o mundo não torna nossas crenças verdadeiras ou falsas e sim que elas são justificadas socialmente (e não apenas por um eu solitário, mas por nós), o conhecimento não pode ser uma questão de adequação com a realidade, e sim de concordância entre os membros de determinada comunidade. Com isso, Rorty abandona a pretensão de uma epistemologia de caráter universal e propõe uma concepção de conhecimento que só pode ser justificada localmente, abrindo alas dessa forma para o seu etnocentrismo, assim como para sua defesa da ideia do conhecimento como solidariedade e da razão como conversação. Este artigo pretende apontar alguns limites da proposta neopragmática de Rorty

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kleyson Rosário Assis, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Doutor em ensino, filosofia e história das ciências e professor de filosofia da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Bahia – Brasil.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. As flores do mal. Trad. Ivan Junqueira. Edição Bilíngue. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. (Poesia de todos os tempos)

BLACKBURN, Simon. Verdade: um guia para perplexos. Trad. Marilene Tombini. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

BOGHOSSIAN, Paul. What is Relativism? In: GREENOUGH, P. and LYNCH, M. (eds.) Truth and Realism. Oxford: Oxford University Press, 2006.

CONDORCET, Jean-Antonio-Nicolas de Caritat. Esboço de um quadro histórico dos progressos do espírito humano. Tradução de Carlos Alberto Ribeiro de Moura. Campinas: editora da UNICAMP, 1993.

EAGLETON, Terry. A idéia de cultura. Trad. Sandra Castello Branco. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

HABERMAS, J. Verdade e Justificação. Trad. Milton Camargo Mota. São Paulo: Edições Loyola, 2004a.

HABERMAS, J. O Futuro da Natureza Humana. Trad. Karina Jannini. São Paulo: Martins Fontes, 2004b.

HABERMAS, J. Técnica e ciência como “ideologia”. Trad. Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 2009.

HUSSERL, Edmund. A crise da humanidade européia e a filosofia. Trad. Urbano Zilles. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1996. (Col. Filosofia – 41)

JAMES, William. Pragmatismo e outros textos. Trad. Jorge Caetano da Silva & Pablo Rubén Mariconda, São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Col. Os Pensadores)

KALPOKAS, Daniel. Richard Rorty y la superación pragmatista de la epistemología. Buenos Aires: Ediciones del signo, 2005. (Col. Plural)

NAGEL, Thomas. A última palavra. Trad. Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

ORTEGA Y GASSET, José. Meditacion de la técnica y otros ensayos sobre ciência y filosofia. In: Revista de Occidente. Madrid: Alianza Editorial, 1996.

ORTEGA Y GASSET, José. José. Rebelião das massas. Trad. Marylene Pinto Michael. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

PLATÃO. A República. Trad. Maria Helena da Rocha Pereira. 7. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993.

RORTY, Richard. Objetivismo, relativismo e verdade. Trad. Marcos Antônio Casanova, 2. ed. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2002.

_RORTY, Richard. Richard. Verdade, universalidade e política democrática (Justificação, contexto, racionalidade e pragmatismo). In: SOUZA, José Crisóstomo de (Org.). Filosofia, racionalidade, democracia – os debates Rorty & Habermas. Trad. José Crisóstomo de Souza. São Paulo: Editora UNESP, 2005a.

RORTY, Richard. Richard. Pragmatismo e política. Trad. Paulo Ghiraldelli Jr. São Paulo: Martins, 2005b. (Col. Dialética)

RORTY, Richard. Richard. Contingência, ironia e solidariedade. Trad. Vera Ribeiro. São Paulo: Martins Fontes, 2007. (Col. Dialética)

RORTY, Richard. Richard. Filosofia como política cultural. Trad. João Carlos Pijnappel. São Paulo: Martins Fontes, 2009. (Col. Dialética)

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e o fundamento da desigualdade entre os homens & Discurso sobre as ciências e as artes. Tradução de Maria Ermantina Galvão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SPENGLER, Oswald. O homem e a técnica. Tradução de João Botelho. 2. ed. Lisboa: Guimarães, 1993. (Coleção Filosofia e Ensaios).

Downloads

Publicado

2016-12-18

Como Citar

ASSIS, K. R. Etnocentrismo liberal-democrático, conhecimento e solidariedade. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 196–218, 2016. DOI: 10.31977/grirfi.v14i2.717. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/717. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos