A necessidade no processo constitutivo das composições naturais em Aristóteles

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v19i1.959

Palavras-chave:

Necessidade absoluta; Necessidade ex hupotheseos; Causalidade material; Teleologia; Composições naturais; Aristóteles.

Resumo

Com este artigo, pretendo examinar a maneira pela qual ocorreria a necessidade natural, em seus diversos aspectos, nos distintos processos gerativos composicionais em Aristóteles. Em um caso, a necessidade natural se daria de um modo "sem mais", ou de um modo absoluto, por meio da qual se geram os agregados. Em outro, a necessidade natural se realizaria a partir de um princípio anterior regulativo ou determinante, que Aristóteles denomina de necessidade ex hupoteseos (sob hipótese), com relação aos processos envolvidos na constituição dos corpos homogêneos inanimados e, dos organismos vivos. No entanto, haveria uma diferença essencial relativamente ao acabamento composicional associado, por um lado, aos corpos homogêneos inanimados e, por outro, aos organismos vivos. Enquanto que o acabamento constituinte das composições homogêneas inanimadas se restringiria apenas ao todo composicional e suas propriedades características, o acabamento dos organismos vivos corresponderia ao todo composicional e as suas propriedades características, bem como este acabamento em vista da realização das atividades orgânico-funcionais, ou vitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Romão de Carvalho, Universidade de São Paulo (USP)

Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP, Brasil.

Referências

ANGIONI, L. As Noções Aristotélicas de Substância e Essência. Campinas, Ed. Unicamp, 2008.

ARISTÓTELES. Aristotelis Opera. BEKKER, I. (ed.). Academia Regia Borussica, Vols. I-II, Berlim, 1831.

ARISTÓTELES. The Metaphysics, Books I-IX. Trad.: Hugh Tredennick, London: The Loeb Classical Library, 1947.

ARISTÓTELES. Generation of Animals. Trad.: A. L. Peck, London: The Loeb Classical Library, 1953.

ARISTÓTELES. On Sophistical Refutations; On Coming-to-be and Passing Away; On the Cosmos. Trad.: E. S. Foster, and D. J. Furley, London: The Loeb Classical Library, 1955.

ARISTÓTELES. On the Soul; Parva Naturalia, On Breath. Trad.: de W. S. Hett, London, The Loeb Classical Library, 1957.

ARISTÓTELES. Parts of Animals; Movement of Animals; Progression of Animals. Trad.: A. L. Peck, London: The Loeb Classical Library, 1961.

ARISTÓTELES. Reproduccíon de los Animales. Trad. e notas de E. Sánchez, Madri: Biblioteca Clásica Gredos, 1994.

ARISTÓTELES. Acerca del Cielo; Meteorológicos. Trad. e notas de M. Candel, Madri, Biblioteca Clásica Gredos, 1996.

ARISTÓTELES. Acerca de la Generación y la Corrupción; Tratados Breves de Historia Natural. Trad. e notas de E. La Croce, e A. B. Pajares, Madri: Biblioteca Clásica Gredos, 1998.

ARISTÓTELES. As Partes dos Animais, Livro I. Trad. e comentários de L. Angioni, Cadernos de História e Filosofia da Ciência, 9 (3) (n. especial), 1999.

ARISTÓTELES. Partes de los animales; marcha de los animales; movimiento de los animales. Trad. e notas E. J. Sánchez-Escariche e A. A. Miguel, Madri: Biblioteca Clásica Gredos, 2000.

ARISTÓTELES. Física. Trad. e notas de G. R. de Echandía, Madri: Biblioteca Clásica Gredos, 2002.

ARISTÓTELES. Acerca del Alma. Trad. e notas de T. C. Martínez, Madri: Biblioteca Clásica Gredos, 2003.

ARISTÓTELES. Metafísica. Trad. e notas de T. C. Martínez, Madri: Biblioteca Clásica Gredos, 2006.

ARISTÓTELES. Física I-II. Trad. e comentários de L. Angioni, Campinas: Ed. Unicamp, 2009.

COHEN, S. M. Aristotle on Nature and Incomplete Substance. New York: Cambridge University Press, 1996.

COOPER, J. M. “Hypothetical necessity and natural teleology”. A. Gotthelf e Lennox, J. (eds.), Philosophical Issues in Aristotle’s Biology. Cambridge: Cambridge University Press, 1987, pp. 243-274.

FREUDENTHAL, Gad. Aristotle’s theory of material substance: heat and pneuma, form and soul. Oxford: Clarendon Press, 1995.

FURTH, Montgomery. "Aristotle's biological universe: an overview". A. Gotthelf e Lennox, J. (eds.), Philosophical Issues in Aristotle’s Biology. Cambridge: Cambridge University Press, 1987, pp. 21-52.

GILL, Mary Louise. Material Necessity and Meteorology IV 12. Aristotelische Biologie: intentionen, methoden, Eegebnisse. Stuttgart: Franz Steiner, 1997, pp. 145-161.

KULLMANN, W. “Differents Conceptions of the Final Cause in Aristotle”. A. Gotthelf (ed.), Aristotle on Nature and Living Things. Pittsburgh, Bristol: Mathesis publications, 1985, pp.169-175.

LEWIS, Frank A. “Aristotle on the Relation between a Thing and its Matter”. T. Scaltsas, D. Charles e M. L. Gill (eds.), Unity, Identity and Explanation in Aristotle’s Metaphysics. Oxford: Clarendon Press, 1994, pp. 247-277.

MAYR, Ernst. “Los Múltiples Significados de Teleológico”. Trad.: Gaona, A. L., in Historia y explicación en biologia. México: Universidad Nacional Autonóma de México – Fondo de Cultura Económica, 1998, pp.431-461.

WATERLOO, Sarah. Nature, Change and Agency in Aristotle’s Physics. Oxford: Clarendon Press, 1982.

Downloads

Publicado

2019-02-28

Como Citar

DE CARVALHO, R. R. A necessidade no processo constitutivo das composições naturais em Aristóteles. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 115-126, 2019. DOI: 10.31977/grirfi.v19i1.959. Disponível em: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/959. Acesso em: 13 ago. 2020.

Edição

Seção

Artigos