Ginga na Avenida: a capoeira no carnaval carioca (1954-1976)

Ginga in the parade: capoeira in cariocan carnival (1954-1976)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17648/2596-0334-v2i3-1491

Palavras-chave:

Rio de Janeiro. Carnaval. Capoeira. Escolas de samba. Blocos de embalo.

Resumo

O artigo destaca a importância da tradição da pernada carioca, anterior à chegada dos baianos capoeiras no Rio de Janeiro, nas décadas de 1950 e 1960. Alguns destes, como Joel Lourenço dos Santos, fizeram parte integral das escolas de samba. A inserção da capoeira no carnaval carioca aconteceu de várias maneiras. As escolas de samba e os blocos organizavam apresentações de capoeira em exibições folclóricas nas suas quadras ou noutros recintos fechados para atrair público e arrecadar dinheiro. A partir de 1961, a Mangueira começou a integrar uma ala de capoeira no seu desfile, e outras escolas fizeram o mesmo na década de 1960. Os blocos de embalo Cacique de Ramos e Bafo da Onça também tiveram grupos de capoeira jogando nos seus desfiles. Todo esse processo contribuiu para disseminar a nova modalidade de capoeira, ao mesmo tempo em que folclorizava a sua prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-26

Como Citar

Assunção, M. R., & Souza, C. E. D. (2019). Ginga na Avenida: a capoeira no carnaval carioca (1954-1976): Ginga in the parade: capoeira in cariocan carnival (1954-1976). Revista Nordestina De História Do Brasil, 2(3), 83-103. https://doi.org/10.17648/2596-0334-v2i3-1491