Archéologie: du passe au présent, dês paysages au territoire

Archaeology: from the past to the present, from landscape to territories

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17648/2596-0334-v2i4-1918

Palavras-chave:

Território. Paisagem. Arte Rupestre. Habitat. Brasil.

Resumo

As escavações efetuadas em diversos abrigos do Mato Grosso evidenciaram povoamentos datados do final do Pleistoceno e do Holoceno. Nessa região onde nascem as bacias hidrográficas do Amazonas e do Paraguai-Paraná, paisagens rochosas espetaculares, a Cidade de Pedra e a Serra das Araras, tornaram-se territórios de populações ancestrais. Suas implantações e exploração dos recursos minerais, hídricos e biológicos as caracterizam. No entanto, suas mais fortes identidades vêm das representações rupestres que foram aí criadas ao longo de vários milenares. Previamente, nossa escavação do acampamento de Brito, sítio a céu aberto na bacia do Paranapanema (oeste do estado de São Paulo), havia mostrado a importância primordial dos materiais líticos para as relações econômicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-06-28

Como Citar

Vialou, A. V., & Vialou, D. (2020). Archéologie: du passe au présent, dês paysages au territoire: Archaeology: from the past to the present, from landscape to territories. Revista Nordestina De História Do Brasil, 2(4), 13-44. https://doi.org/10.17648/2596-0334-v2i4-1918

Edição

Seção

Dossiê Temático: História Ancestral do Brasil