O 13 de maio e os embates da memória da abolição

May 13 and the abolition memory fighting

Autores

  • Walter Fraga Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

DOI:

https://doi.org/10.17648/2596-0334-v2i4-1929

Palavras-chave:

Abolição. Festas da abolição. Pós-abolição. Memória.

Resumo

Neste artigo pretendo refletir sobre um dia específico da história do Brasil: o 13 de maio de 1888, data em que legalmente foi abolida a escravidão no Brasil. A ideia é ver de que forma aquele acontecimento foi vivenciado por diversos atores envolvidos bem como seus esforços para projetarem aquela data para a posteridade como um momento fundador da história do país. No calor das celebrações que se seguiram à aprovação da chamada Lei Áurea e nos anos seguintes àquele episódio definiram-se campos de disputa em torno da memória da abolição. As disputas giraram em torno de quais personagens e acontecimentos ganhariam relevo nas celebrações e na memória da abolição do cativeiro. Essas disputas foram parte dos embates políticos que sucederam o 13 de maio de 1888 e marcaram os primeiros anos de República.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Fraga, W. (2020). O 13 de maio e os embates da memória da abolição: May 13 and the abolition memory fighting. Revista Nordestina De História Do Brasil, 2(4), 221-241. https://doi.org/10.17648/2596-0334-v2i4-1929