Melhoria das Praticas de sala de aulas dos professores de Física: Uso do celular para ensinar o conceito de energia

Autores

  • Sacate, A. R. Universidade Eduardo Mondlane
  • Mutimucuio, I. V. UniTiva

Palavras-chave:

energia, celular, ensino, fisica, tecnologia

Resumo

O conceito de energia é um dos mais centrais das ciências naturais, como a física, a química e a biologia. Para a física, em particular, possui uma importância fundamental: grande parte dos modelos e teorias da física são fundamentados nesse conceito. A energia existe em várias formas, como calor, luz, eletricidade, energia química, energia cinética, energia potencial, petróleo, som e energia nuclear. Com a industrialização e o aumento da população, o uso da energia também aumentou ocupando um lugar importante em nossas vidas, o que se traduz no aumento de estudos sobre energia eléctrica, energia química e energia renovável (Bezen, Bayrak & Aykutlu, 2016, p. 2). Do ponto de vista do ensino do conceito de energia, há um número significativo de estudos reportando o que se passa em sala de aulas. Por exemplo, um dos estudos interessante foi efetuado por Bezen, Bayrak & Aykutlu (2016, p. 4). No contexto moçambicano, uma pesquisa sobre o desenvolvimento do conceito de energia, envolvendo estudantes do primeiro ano universitário foi realizado por r (Mutimucuio, 1998, p. 1) e um outro, no domínio da física de energias renováveis, realizado por Cuamba, Isaías e Leão (2019, p. 2). O presente estudo, concentra atenção sobre o ensino do conceito de energia mecânica (cinética e potencial) e envolveu 68 alunos de uma escola secundária na cidade de Maputo, usando como instrumento mediador do processo de ensino e aprendizagem o celular. Para colecta de dados foram usados o questionário, o teste e a observação durante quatro aulas, tendo sido usado o método qualitativo e quantitativo para a análise das respostas dos alunos. Os resultados mostram que o uso do celular trouxe uma grande motivação e participação dos alunos durante a aula e melhora a aprendizagem dos conceitos de energia mecânica, mas em termos de resultados no teste de avaliação, não se verificaram diferenças significativas entre a turma que utilizou o celular durante o ensino (94%) e aqueles que não foram objetos de estudo (90%). Por fim, este estudo mostrou que o celular é um elemento ``forte'' ao ser usado em sala de aula durante o período de COVID-19, pois reforça a diversificação das estratégias de ensino e aprendizagem, no momento em que cada vez se torna difícil o ensino presencial na maioria das escolas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bezen, S., Bayrak, C., & Aykutlu, I. (2016). Physics teachers’ views on teaching the concept of energy. Eurasian Journal of Educational Research, 64, 109-124 http://dx.doi.org/10.14689/ejer.2016.64.6

Cuamba, B. C. (1996). Studies on the performance on a photovoltaic power plant in a Southern African environment, University of North Umbria, Newcastle, UK

Cuamba, B. C.; Isaias, D. L. S. & Leão, A. J. (2019). A review on renewable energy systems for irrigation in arid and semi-arid regions. Journal of Power and Energy Engineering 7 (10), 21

Mutimucuio, I. V. (1998). Improving Students' Understanding of Energy: A Study of the Conceptual Development of Mozambican First-year University Students. VU Huisdrukkerij

Neto, J.E.S.; Amaral, E.M.R. (2016). Modos de Pensar e Formas de Falar o Conceito de Energia por Alunos do Ensino Médio. XVIII Encontro Nacional de Ensino de Química (XVIII ENEQ) Florianópolis, SC, Brasil – 25 a 28 de julho de 2016.

Silva, S. V.; Camargo, E. A. (2017). Estudo sobre o impacto no consumo de energia elétrica devido a ascensão das classes sociais. Conference: CONIC 17 - Congresso Nacional de Iniciação Científica, São Paulo.

Souza, V. R. (2015). Uma proposta para o ensino de Energia Mecânica e sua conservação através do uso de analogias. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física- Rio de Janeiro, 2015.

Downloads

Publicado

13-07-2021

Edição

Seção

Ensino das Ciências Exatas