Grupo de apoio psicossocial a pessoas trans na pandemia

uma experiência de ajuda mútua

Autores

Palavras-chave:

Pessoas transgênero, Sistemas de apoio psicossocial, COVID-19, Saúde mental, Redes Sociais Online

Resumo

em fevereiro de 2020, no Brasil, a pandemia do Coronavírus mudou a vida de todos os brasileiros. Nesse contexto pandêmico, a população trans, que já possui uma rede social escassa, encontra-se ainda mais isolada, invisibilizada e negligenciada. Em tempos de distanciamento físico, percebe-se a importância das ferramentas online para consolidar redes de apoio. O objetivo deste relato de experiência foi descrever a vivência de uma discente de uma Universidade Federal baiana como proponente de um grupo virtual de ajuda mútua a pessoas trans na pandemia, realizado no período de outubro a dezembro de 2020. Formou-se um grupo virtual de ajuda mútua, utilizando o instagram, o whatsapp e o google meet. No período pandêmico, os contextos de exclusão da população trans se cruzam. Notou-se a importância do Papo Trans para mitigar o sofrimento psíquico dos participantes, uma vez que este espaço, mesmo com o distanciamento social, proporcionava-lhes um sentimento de alívio. Os integrantes alcançaram no grupo apoio mútuo e amizades e debateram temas pessoais relevantes à vivência trans. A experiência estimulou a discente a compreender os diversos contextos que os participantes estavam inseridos, entendendo melhor, as demandas sociais e de saúde da população trans, com um olhar mais sensível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Moraes Cortes, Universidade Federal de Santa Catarina.

Doutora em Ciências pela EEUSP. Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina.

Lorena Moura Pontes Araujo, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Bacharela em Saúde e acadêmica do curso de Medicina. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Paula Hayasi Pinho, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Doutora em Ciências com Pós-Doutorado pela EEUSP. Curso de Medicina da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Referências

BRASIL. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_lesbicas_gays.pdf. Acesso em: 12 jun. 2021.

BRAZ, C; ALMEIDA, A. S. Espera, Paciência e Resistência: reflexões antropológicas sobre transexualidades, curso da vida e itinerários de acesso à saúde. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 63, n. 2, p.1-17, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/ 2179-0892.ra.2020.170813. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ra/article/view/170813/163354. Acesso em: 08 jun. 2021.

CORTES, H. M. et al. O (Des)Acesso de Pessoas Transgêneras aos Serviços de Saúde no Recôncavo Baiano. Cadernos De Gênero E Diversidade, [S. l.], v. 6, n. 4, p. 159-180, 2021. DOI: https://doi.org/10.9771/cgd.v6i4.36104. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/cadgendiv/article/view/36104. Acesso em: 12 jun. 2021.

CORTES, H. M. et al. Vivências de mulheres transgêneras de um município do recôncavo da Bahia. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem, v. 1, p. e1871, 2019. DOI: https://doi.org/10.25248/reaenf.e1871.2019. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/enfermagem/article/view/1871/922. Acesso em 15 jun. 2021.

COSTA, B. R. L. Bola de neve virtual: O uso das redes sociais virtuais no processo de coleta de dados de uma pesquisa científica. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 16-37, 2018. DOI: https://doi.org/10.9771/23172428rigs.v7i1.24649. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/rigs/article/view/24649. Acesso em: 12 jun. 2021.

DE MENDONÇA, M. J. S. Abordagem em Grupo e Mútua Ajuda. Curitiba: Instituto Federal do Paraná para o Sistema Escola Técnica Aberta do Brasil – e-Tec Brasil. 2014. Disponível em: http://proedu.rnp.br/bitstream/handle/123456789/1402/Abordagem%20em%20Grupo%20e%20Mutua%20Ajuda.pdf?sequence=1. Acesso em: 08 jun. 2021

IVTZAN, I. et al. Second wave positive psychology embracing the dark side of life. Abingdon: Routledge. 2016.

KRAEMER, M. U. G. et al. The effect of human mobility and control measures on the COVID-19 epidemic in China. Science, vol. 368, n. 6490, p. 493–497, 2020. DOI: https://doi.org/10.1126/science.abb4218. Disponível em: http://www.science.org/doi/epdf/10.1126/science.abb4218. Acesso em: 15 jun. 2021.

LAYOUS, K.; NELSON, S. K.; LYUBOMIRSKY, S. What is the optimal way to deliver a positive activity intervention? The case of writing about one’s best possible selves. Journal of Happiness Studies, vol. 14, n. 2, p. 635-654, 2013. DOI: https://doi.org/10.1007/s10902-012-9346-2. Disponível em: http://sonjalyubomirsky.com/wp-content/themes/sonjalyubomirsky/papers/LNLinpress.pdf. Acesso em: 03 jun. 2021.

LINHARES, E. M. et al. Angústia, insegurança e medo na população LGBTQIA +: Comprometimento da saúde mental na pandemia de COVID-19. Research, Society and Development, v. 10, n. 8, p. 1-8, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i8.17136. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/download/17136/15656/221690. Acesso em: 03 jun. 2021.

PANTE, A. L.; FERNANDES, E. R. Novas demandas, novos espaços: pessoas trans e ativismos on line como estratégia de visibilidade. Revista de Direito da Cidade, vol. 11, n. 3, p. 617-635, 2019. DOI: https://doi.org/10.12957/rdc.2019.43726. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/rdc/article/view/43726/32526. Acesso em 08 jun. 2021.

PETERSON, C.; SELIGMAN, M. E. P. Character strengths and virtues: a handbook and classification. Washington: American Psychological Association. 2004.

RAIMONDI, G. A. et al. Gender and Sexuality in the Federal Medical Schools in Brazil: an Analysis of the Curricular Pedagogical Projects. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 44, n. 2, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.2-20190050.ING. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbem/a/4wpRHd3jTB6YNn7nQGbx7FQ. Acesso em 12 jun. 2021.

SANTOS, M. A. D.; OLIVEIRA, W. A. D.; OLIVEIRA-CARDOSO, É. A. D. Inconfidências de abril: impacto do isolamento social na comunidade trans em tempos de pandemia de COVID-19. Psicologia & Sociedade, v. 32, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2020v32240339. Disponível em: https://www.scielo.br/j/psoc/a/VTPmcVsbJjpxGWLsCJzV5DS. Acesso em: 15 jun. 2021.

SMIRNOVA, M.; PARKS, A. C. Positive psychology interventions: clinical applications. In: Dunn DS, editors. Positive psychology: established and emerging issues. Abingdon: Routledge. 2018. pp.276-297

STONE, B. M. et al. Effects of the Gratitude Letter and Positive Attention Bias Modification on Attentional Deployment and Emotional States. Journal Happiness Studies: An Interdisciplinary Forum on Subjective Well-Being. DOI: https://doi.org/10.1007/s10902-021-00377-2. 2021. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10902-021-00377-2. Acesso em 15 jun. 2021.

Arquivos adicionais

Publicado

28.07.2022

Como Citar

Moraes Cortes, H., Moura Pontes Araujo, L., & Hayasi Pinho, P. (2022). Grupo de apoio psicossocial a pessoas trans na pandemia: uma experiência de ajuda mútua. Revista Extensão, 22(1), 108–114. Recuperado de https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/revistaextensao/article/view/2695

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)