OFICINAS TEMÁTICAS DE CIÊNCIAS COMO ESPAÇO PARA CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE QUÍMICA

Autores

  • Assicleide Silva Brito Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Marcelo Alves Lima Junior Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Eva Bábara Sá Teles Universidade Estadual de Feira de Santana

Palavras-chave:

curricularização da extensão, formação de professores, ensino de ciências, oficinas temáticas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo identificar que relações os acadêmicos de um curso de Licenciatura em Química construíram com as ações extensionistas desenvolvidas por eles em uma componente curricular, no planejamento e execução de Oficinas Temáticas de Ciências (OTC) para a Educação Básica. A pesquisa foi organizada dentro da abordagem qualitativa para compreender os sentidos das experiências vivenciadas. Houve análise dos relatos escritos por meio da Análise de Conteúdo. Participaram do estudo 36 acadêmicos. Com a análise percebe-se, nos relatos expressos, que as ações desenvolvidas contribuíram para aproximar os futuros professores da docência, fortalecer a relação Universidade-escola; e, contribuir com a relação entre conhecimentos científicos e populares a partir da contextualização das temáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Assicleide Silva Brito, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutora em Educação em Ciência – Universidade Estadual de Feira de Santana

Marcelo Alves Lima Junior , Universidade Estadual de Feira de Santana

Graduado em Química pela Universidade Estadual de Feira de Santana. Participou de dois programas de Residência Pedagógica e PIBID, foi monitor da disciplina química e sociedade, participou do projeto de extensão Oficinas Temáticos de Ciências para a educação básica em Feira de Santana. Fui presidente do conselho acadêmico e da associação atlética do Bacharelado em Química? UEFS.

Eva Bábara Sá Teles, Universidade Estadual de Feira de Santana

Graduada em Química pela Universidade Federal de Bahia. Cursando Licenciatura em Química pela Universidade Estadual de Feira de Santana. 

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições, 2015.

CALIPO, D. Projetos de extensão universitária crítica: Uma ação educativa transformadora. Campinas, 2009. Base de dados do Scielo. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000390135> Acesso em: 20 ago.2020.

CHASSOT, A. Para que(m) é útil o ensino?. 3 ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2014.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 51ª ed, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 197 p.

JENIZE, E. As Práticas Curriculares e a Extensão Universitária. 2004. Disponível em: <https://www.monografias.com/pt/trabalhos-pdf901/as-practicas-curriculares/as-practicas-curricu-lares.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2020.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: EPU, 2013. 112 p.

MARCONDES, M. E. R. Proposições Metodológicas para o Ensino de Química: Oficinas Temáticas para a Aprendizagem da Ciência e o Desenvolvimento da Cidadania. Em Extensão, Uberlândia, V. 7, 2008. p. 67-78

MAZZILLI, S. Ensino, pesquisa e extensão: reconfiguração da universidade brasileira em tempos de redemocratização do Estado. Rbpae, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 205-221, ago, 2011.

RODRIGUES, A. L. L.; et al. Contribuições da Extensão Universitária na Sociedade. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais. Aracaju, V. 1, n.16, 2013. p. 141-148.

SANTOS, W. L. P. Contextualização no ensino de Ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & ensino, vol. 1, número especial, nov. de 2007.

SCHEIDEMANTEL; S. E.; KLEIN, R.; TEIXEIRA, I. T. A Importância da Extensão Universitária: o Projeto Construir. Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte – 12 a 15 de setembro de 2004. Disponível em: https://www.ufmg.br/congrext/Direitos/Direitos5.pdf Acesso 17 de janeiro de 2022.

SILVA, D. P.; MARCONDES, M. E. R. (org). Oficinas Temáticas no Ensino Público: Formação Continuada de Professores. Material produzido pelo Grupo de Pesquisa em Educação Química (GEPEQ) do Instituto de Química, da Universidade de São Paulo. São Paulo, Secretaria de Educação: FDE, 2007. 108p.

Arquivos adicionais

Publicado

28.07.2022

Como Citar

Silva Brito, A., Alves Lima Junior , M., & Sá Teles, E. B. (2022). OFICINAS TEMÁTICAS DE CIÊNCIAS COMO ESPAÇO PARA CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE QUÍMICA. Revista Extensão, 22(1), 32–44. Recuperado de https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/revistaextensao/article/view/2812

Edição

Seção

DOSSIÊ - Curricularização da Extensão: diretrizes, metodologias e experiências