EDUCAÇÃO POPULAR, CIÊNCIAS HUMANAS E O TRABALHO DE EXTENSÃO COM AGENTES DE MOVIMENTOS SOCIAIS

Autores

  • Mauricio Mogilka Doutor em Educação, FE/Universidade Federal da Bahia; Professor da FE/Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Extensão, Extrema-direita, Complexidade

Resumo

Este artigo apresenta as características, a base teórica, os objetivos, a metodologia e alguns resultados do projeto de extensão “Educação, teorias críticas e processos emancipatórios”, desenvolvido na Universidade Federal da Bahia entre 2015 e 2021, na cidade de Salvador. O artigo mostra como o projeto estabeleceu, junto com os agentes sociais, as relações entre as ciências humanas e a educação popular; bem como mostra o valor das ciências humanas para os movimentos sociais, especialmente neste momento de luta contra a hegemonia fascista. O artigo tenta mostrar a urgência de se desenvolver com mais vigor atitudes, reflexões e prática mais complexas, pois enfrentamentos unidirecionais e simplistas têm sido absorvidos pelo sistema dominante, tanto em governos neoliberais como fascistas. O projeto se inspirou teoricamente no humanismo crítico, conforme aqui como uma grande abordagem e não como teoria específica. Dentro desta abordagem geral, a principal referência teórico-metodológica usada neste projeto de extensão foram as teorias latino-americanas da libertação. Como resultados qualitativos, o artigo apresenta as reflexões, desenvolvidas ao longo do projeto,’ sobre os conceitos de conhecimento, realidade, espiritualidade e democracia participativa.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DUSSEL, Enrique. Filosofia da libertação: crítica à ideologia da exclusão. São Paulo: Paulus, 2005.

DUSSEL, Enrique. Ética da libertação: na idade da globalização e da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2000.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

MARX, Karl. O capital. São Paulo: Difel, 1985.

MOGILKA, Maurício. Extrema-direita, campo progressista e reconstrução da democracia no Brasil. (Em análise para publicação em breve). 2022.

MOGILKA, Maurício. Ascensão da extrema-direita e reconstrução do campo progressista no Brasil. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP. Macapá, v. 13, n. 4, p. 373-474, jul./dez. 2020 (www.repositorio.ufba.br).

MOGILKA, Maurício. Governos progressistas na América Latina e seus impasses em contexto neoliberal. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP. Macapá, v. 12, n. 2, p. 75-87, jul./dez. 2019 (www.repositorio.ufba.br).

MOGILKA, Maurício. Repensar a democracia. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP. Macapá, v.7 n. 1, p. 61-81, jan.-jun. 2014 (www.repositorio.ufba.br).

Arquivos adicionais

Publicado

28.07.2022

Como Citar

Mogilka, M. (2022). EDUCAÇÃO POPULAR, CIÊNCIAS HUMANAS E O TRABALHO DE EXTENSÃO COM AGENTES DE MOVIMENTOS SOCIAIS. Revista Extensão, 22(1), 78–90. Recuperado de https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/revistaextensao/article/view/2870