Avaliação de métodos de aplicação de H2O2 para aclimatação de plantas de girassol à salinidade

Autores

  • Petterson Costa Conceicao Silva Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • André Dias de Azevedo Neto Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Hans Raj Gheyi Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Rogério Ferreira Ribas Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Alide Mitsue Watanabe Cova Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Caroline Rastely dos Reis Silva Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Helianthus annuus L., água salobra, peróxido de hidrogênio

Resumo

Objetivou-se com o presente estudo avaliar o efeito de diferentes métodos de aplicação de peróxido de hidrogênio (H2O2) via semente e/ou via foliar em plantas de girassol (Helianthus annuus L.) sob estresse salino. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, no campo experimental do Núcleo de Engenharia de Água e Solo, UFRB. Foram testados cinco tratamentos: controle (ausência de NaCl); controle salino (presença de 100 mM NaCl); 1 mM H2O2 via semente (na presença de 100 mM NaCl); 1 mM H2O2 via foliar (na presença de 100 mM NaCl); 1 mM H2O2 via semente + 1 mM H2O2 via foliar (na presença de 100 mM NaCl). O ensaio foi realizado em delineamento inteiramente casualizado, com 4 repetições. As plantas foram mantidas durante um período de 20 dias em sistema hidropônico do tipo floating. O estresse salino reduziu significativamente a produção de massa seca das folhas, caule e raízes. O pré-tratamento com aplicação de H2O2 via semente e a combinação via semente + via foliar foram capazes de reduzir os efeitos deletérios da salinidade, proporcionando maiores produções relativas da biomassa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-01-28