Avaliação de métodos de estimativa da evapotranspiração de referência para os municípios de Paulistana e Piripiri no estado do Piauí, Nordeste do Brasil

Autores

  • Francisco de Assis Gomes Junior Universidade Estadual do Piauí
  • Inaria Costa de Souza Universidade Estadual do Piauí
  • Mairton Gomes da Silva Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • João Valdenor Pereira Filho Universidade Estadual do Piauí
  • Clarice Sousa Moura Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Ariadna Faria Vieira Universidade Estadual do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.19149/wrim.v13i1-3.3440

Palavras-chave:

Penman-Monteith, Hargreaves-Samani, evapotranspiração da cultura, temperatura do ar.

Resumo

A evapotranspiração é um importante componente para o manejo da água na agricultura irrigada. Medições diretas da evapotranspiração da cultura (ETc) são muito difíceis, geralmente requerendo muito tempo e de alto custo. A ETc pode ser obtida multiplicando-se o coeficiente de cultivo (Kc) pela evapotranspiração de referência (ETo). Na literatura, existem muitos métodos empíricos para estimar a ETo a partir de diferentes variáveis meteorológicas. Nesse sentido, no presente trabalho objetivou-se avaliar o desempenho dos métodos de Makkink, Hamon, Jensen-Haise, Benavides-Lopez, Camargo, Priestley-Taylor, Linacre, Radiação FAO-24 e Hargreaves-Samani para estimativa da evapotranspiração de referência mensal em comparação ao método padrão Penman-Monteith FAO-56, para os municípios de Paulistana e Piripiri no estado do Piauí. Foram usados dados diários de temperatura máxima e mínima do ar, umidade relativa do ar, velocidade do vento e insolação de estações meteorológicas convencionais para o período de 01 de janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2014, obtidos a partir do Instituto Nacional de Meteorologia. Para comparar os valores mensais de ETo por PM FAO-56 e os outros métodos, foram utilizados os seguintes critérios de qualidade de ajuste: erro médio (EM, mm dia-1), erro padrão de estimativa (EPE, mm dia-1), erro percentual médio (EPM, %), razão entre médias (RM, %), coeficiente de determinação (R2), índice de concordância de Willmott (id) e índice de desempenho de Camargo e Sentelhas (c > 0,85 – ótimo; 0,76 ≤ c ≤ 0,85 – muito bom; 0,66 ≤ c ≤ 0,75 – bom; 0,61 ≤ c ≤ 0,65 – mediano; 0,51 ≤ c ≤ 0,60 – sofrível; 0,41 ≤ c ≤ 0,50 – mau; c ≤ 0,40 – péssimo). Para o município de Piripiri, os métodos de Hargreaves-Samani e Camargo apresentaram melhores desempenhos nas estimativas de ETo mensal de acordo com os índices estatísticos: EM de 0,41 e 0,13 mm dia-1; EPE de 0,45 e 0,33 mm dia-1; EPM de 8,29 e 2,56%; RM de 108,29 e 102,56%; R2 de 0,96 e 0,89; id de 0,89 e 0,91 e c de 0,86 – ótimo e 0,81 – muito bom, respectivamente. No município de Paulistana, os métodos de Hargreaves-Samani e Jensen-Haise apresentaram melhores desempenhos (EM de -0,14 e 0,80 mm dia-1; EPE de 0,45 e 1,03 mm dia-1, EPM de -2,76 e 15,53%; RM de 97,24 e 115,53%; R2 de 0,80 e 0,96; id de 0,88 e 0,74 e c de 0,70 – bom e 0,71 – bom, respectivamente).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.